Desânimo e Desmotivação podem ser Depressão? Veja como Eliminar

Você já deve ter se pegado olhando para o nada, isso não é bem um sinal de depressão ou desmotivação, pode ser simplesmente um momento seu de reflexão!

Entretanto, se você fica por muitas horas ou até durante várias vezes ao decorrer do seu dia com esses sintomas, pode ser sim que você esteja com depressão.

Os sintomas da depressão, podem ser vários, mas algum deles são clássicos e podem ser citados e identificados facilmente.

Sintomas da Depressão:

  1. Ansiedade
  2. Nervosismo
  3. Mau humor
  4. Vontade de chorar por nada
  5. Desmotivação

Um fato bem importante é que as pessoas que estão passando pela depressão normalmente não se identificam com a doença ou até identificam mas não sabem como sair dela de forma simples evitando que seu quadro agrave.

Quero falar aqui que não sou médico, o conselho aqui é meramente para que de alguma forma, nós do DicasFree.com possamos somar no combate à essa doença silenciosa e fatal.

Como combater a Depressão?

Grandes estudiosos, vêm ao longo de vários anos realizando estudos dos sintomas e os tratamentos da depressão. Durante esses estudos, alguns testes foram realizados e algumas simples atitudes podem mudar todo o jogo.

Combater a depressão é algo que deve ser realizado o mais rápido possível, entendendo que ela é uma doença e pode criar danos na vida do depressivo de formas não reparáveis.

Veja as nossas dicas, que são simples, porém poderosas para combater a depressão de forma segura e sem remédios.  

Tratamento da Depressão:

1 – Ter pensamentos positivos:  Quando falamos em ter pensamentos positivos, não estamos falando que você deve se isolar e meditar sobre a sua consciência ou criar novos pensamentos de forma positiva.

Mas sim, em blindar sua mente das constantes notícias ruins que são vinculadas a todo instante por todos os meios de comunicação.

Evite ao máximo que puder jornais e noticiários eles só levam até você notícias ruins e depressivas. Foque em músicas positivas ou em momento com pessoas que você goste ou lhe traga coisas boas.

2 – Seja grato: Uma das maiores forças transformacionais que existe no universo é o poder da gratidão!  Quando você está grato, de forma automática é eliminado do seu pensamento a ideia da tristeza ou coisas ruins pelo simples fato de você ser grato pelo que tem hoje.

Exercite a gratidão! De forma mental você pode todos os dias realizar o exercício da gratidão e receber suas vantagens intangíveis em sua mente e corpo, não somente aliviar ou quem sabe eliminar seu depressão como também criar um ambiente de abundância!

3 – Evite pessoas negativas: Não é novidade para ninguém que o mundo e nosso universo é formado e organizado em energia, e isso também é válido para as pessoas!  

Algumas pessoas são literalmente um buraco negro sugador de energia, acaba com a  energia dela e quer acabar com a energia positiva das pessoas ao seu redor.

Esse tipo de pessoa, em sua grande maioria, nem tem ciência que está realizando isso com ela e com o próximo.

Para identificar esse tipo de pessoa é simples e rápido. Pessoas negativas e sugadoras de energia só falam sobre notícias ruins, estão sempre em busca de pessoas piores que ela ou em desgraça constante para compartilhar suas desgraças umas com as outras e por fim os sugadores de energia, pesam o ambiente e passam um ar de cansada a qualquer momento até quando acabou de dormir um sono profundo. Evite essas pessoas!

4 – Viver no passado: Focar sua mente no passado ou em momentos já vividos que não podem ser mudados é literalmente se afundar na tristeza mais dolorida possível.

É totalmente saudável relembrar momentos felizes que trazem boa sensação para você entretanto, relembrar momentos de tristeza irá realizar o mesmo efeito só que de forma negativa, eliminando toda sua energia positiva que está viva e pulsante dentro de você.

Evite viver no passado, toque a vida para frente, crie novos momentos, realize novas coisas e elimine de sua mente os momentos tristes que podem lhe passar ou resgatar a energia negativa enraizada.

5 – Fique na Luz: É comum em momentos triste ou depressivos, ser realizado um certo isolamento ou a exclusão por parte do depressivo da sociedade e da luz!

Se isolando em cômodos escuros ou até transformando ambientes agradáveis como seus quartos em ambientes escuros e propício a fertilidade da depressão.

Saia, fique um tempo na luminosidade, sinta o calor do sol, ilumine o local que você mais frequenta e evite a qualquer preço permanecer na escuridão.  Da mesma forma que uma planta necessita de luz para viver, isso também é necessário para você.

Conclusão

Esse são somente alguns dos pontos que podem ser executados para aliviar ou até salvar você da maior doença psíquica já comprovada pela humanidade.

Os sintomas aqui citados podem ser alterados ou diferenciados, mas o fato aqui é que da mesma forma que você está buscando ajuda poderá ajudar alguém.

Compartilhe este documento, marque pessoas que podem ser ajudadas sobre esse assunto, como estamos fazendo a nossa parte você poderá será ajudado e ajudar alguém.

Comece executando um simples passo de cada vez por dia, que no fim do ano terá executado 365 passos saudáveis!

Inicie agora e compartilhe, ajude a humanidade!  

Como identificar a depressão infantil?

A depressão infantil pode se manisfestar de diversas formas, seja como noites mal dormidas, tristeza, falta de vontade em realizar atividades corriqueiras, choro demasiado, dentre outros sintomas. Essa é uma doença que pode acometer qualquer criança, independente de sua situação social, econômica ou cultural.

Este é um transtorno no humor caracterizado principalmente pela tristeza e anedonia (perda do prazer), sendo que na infância essa tristeza se assemelha mais a um sentimento de constante irritação e mau humor.

A depressão infantil pode ser provocada devido a fatores genéticos ou até mesmo com relação a situações de trauma ou estresse dentro do ambiente familiar, trazendo assim problemas de adultos às pequenas mentes que ainda estão em desenvolvimento.

Como este é um transtorno que não pode ter uma comprovação laboratorial, o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais é um documento utilizado por profissionais que trabalham com a saúde mental que apresenta uma lista com transtornos mentais e como fazer o diagnóstico de cada um seguindo as orientações da Associação Americana de Psiquiatria.

Neste manual são expostos treze sintomas característicos da depressão, sendo que cinco deles são identificados concomitantemente em um período de uma semana o quadro é confirmado. Confira a seguir quais são eles e fique atento, se necessário leve a criança a um profissional.

Criança triste.
(Foto: Reprodução)

  1. Enurese e encoprese (urina e fezes involuntárias)
  2. Emagrecer ou engordar demais repentinamente
  3. Comportamento antissocial e destrutivo
  4. Sentimento de rejeição com as pessoas a volta
  5. Dores no corpo, como na cabeça, barriga ou pernas
  6. Sentimento de insatisfação consigo mesmo
  7. Falta de energia para realizar tarefas comuns
  8. Cansaço exacerbado
  9. Distúrbios no sono
  10. Perda na atenção e no rendimento escolar
  11. Desinteresse em realizar atividades que até então eram comuns
  12. Ansiedade
  13. Humor sensível, com irritabilidade e choro fácil

É importante prestar bastante atenção em todos os sintomas que a criança pode vir a expressar demonstrando que está deprimida, pois ela mesma não sabe dar nome aos seus sentimentos, tornando então indispensável a participação do adulto neste processo que identifica o que chamamos de tristeza, ansiedade e angústia: a depressão.

Tratamento

O tratamento de uma criança que é diagnosticada com depressão envolve diversos agentes, como pais, professores, psicólogos e médicos, assim como outras pessoas do convívio da criança também a auxiliarão na superação deste transtorno.

O tratamento se baseia em dois pilares fundamentais: o medicamento e a psicoterapia, sendo esta segunda a mais importante e eficaz. Para isso, a participação dos professores como profissionais capacitados para fazerem uma avaliação da evolução do comportamento diário da criança é essencial, uma vez que os pais ao estarem envolvidos de forma emocional tem maiores dificuldades para assumir tal tarefa.

Caso o tratamento obtenha sucesso é hora da dinâmica familiar ser reelaborada para prevenir a reincidência de sintomas, se tornando que os pais tenham laços mais afetivos com suas crianças, estando sempre estimulando em seu desenvolvimento social e psicológico.

Bebês também tem depressão: conheça os sintomas

Já no século passado, começaram os estudos a respeito do comportamento de bebês que se deprimiam ou não. Mesmo algumas pessoas afirmando que é apenas “manha”, vários estudos científicos já comprovaram que a depressão atinge o ser humano em qualquer fase da sua vida, desde o nascimento até a terceira idade.

Quando se pensa em infância, a primeira coisa que nos vem a mente são sorrisos, brincadeiras, carinhos e outras coisas do gênero, mas não é só disso que a infância se compõe. Cerca de 1% das crianças com menos de 4 anos tem a possibilidade de sofrer desse mal que desola a tantos adultos.

Se o seu bebê apresenta reações estranhas como ansiedade, agitação constante, choro interminável ou até mesmo atitudes quietas demais é hora de desconfiar se não há algo errado com ele. Analise todas essas ações em conjunto levando em conta o ambiente no qual está inserido e até quadros crônicos de doenças presentes na família.

Bebê triste.
(Foto: Reprodução)

Casos mais graves de distúrbios do sono, muitas vezes acompanhados de dores e agitação, podem ser um sinal de depressão.

Observe também a alimentação do seu filho, se ele está comendo na quantidade ideal. Como sabemos, essa fase é uma das principais no desenvolvimento do ser humano, porém comer demais não é uma atitude normal.

De outro lado, temos o caso da mãe que pouco amamenta o pequeno até notar seu emagrecimento, iniciando o desenvolvimento da anemia.

Quando uma criança está depressiva, a tristeza passa a ser notável. Então se a sua criança anda cabisbaixa e sem muito ânimo para fazer atividades cotidianas, não fique pensando que é apenas um mal estar, pode ser depressão.

Esteja sempre atenta aos sinais que o seu filho expressa, sinais não-verbais e corporais, uma vez que os mesmo ainda não desfrutam da linguagem para se comunicar.

Procure conversar com outras pessoas que já foram pais, para desta forma trocar experiências. Se necessário, busque a ajuda de um especialista, mas de nenhuma forma ignore o problema.

Cachorro fica deprimido

Até mesmo os cachorros não estão livres de se sentirem deprimidos. A tristeza é algo que afeta a todos, inclusive eles, que sempre parecem os mais alegres da casa. Há uma sucessão de motivos pelos quais se sentem tristes, é importante que o dono fique atento para diagnosticar o problema com antecedência.

Como já sabemos, costumam ter “crises” de tristeza quando estão doentes. Dores e mal estar são os principais motivos que os levam ao desconforto e consequentemente a tristeza. Mas por outro lado, é importante saber que existe a depressão canina, ela é um quadro clínico que requer cuidados.

Geralmente, os períodos depressivos ou até o alojamento da doença no seu cão pode ser resultado de algumas mudanças ocorridas na vida do pequeno, bem como:

  • Rotina mudada repentinamente
  • Mudanças de local
  • Morte de entes queridos
  • Perda da liberdade
  • Período da doença

O comportamento é modificado aos poucos, no começo do desenvolvimento da doença, é possível que ele ainda esteja brincando e passando bons momentos ao seu lado, com o tempo, começará a se sentir triste e isso afetará até mesmo a alimentação  e hidratação diária.

Cachorro triste (Foto: Reprodução)

Não é possível indicar especificamente quais são os sintomas que indicam que seu cachorro está depressivo, isso porque cada um possui particularidades. Contudo, conhecendo seu animal fica muito mais fácil diagnosticar, quando perceber o problema, leve-o imediatamente ao veterinário.

Um profissional especializado na saúde canina é quem poderá denotar as principais caraterísticas presentes no comportamento que indicam a depressão. Também é importante que mantenha o tratamento que lhe for indicado e o cubra de carinho e dedicação.

Nos primeiros dias pode estar ainda mais carente e desejando sua companhia, portanto, procure abstê-lo em suas necessidades e sempre influencia-lo a brincar, correr, se alimentar e se hidratar (a base de água). Alguns tratamentos incluem medicação. Mantenha-se informado através do seu veterinário.

Cachorro ajuda no tratamento de depressão

Que o cão é o melhor amigo do homem, nós já sabemos. Mas ajudar no tratamento contra a depressão? Pois é, por mais incrível que pareça, esses amiguinhos podem ser totalmente auxiliadores na depressão, eles são capazes de agir como terapeutas no processo de recuperação de um paciente.

É bem verdade quando dizem que os cães são realmente fiéis. Você tem certeza de que com esse amigo sempre poderá contar, mas indo ao que interessa, já se perguntou por que os cães podem ser tão eficientes no combate a depressão? Essa pergunta pode ser respondida com apenas uma palavra: fidelidade.

Um método é chamado de Terapia Associada aos Animais, consiste especificamente em alcançar os objetivos terapêuticos dos pacientes através do simples carinho de seu cão. No mesmo, o animal é visado como um co-terapeuta que ajuda a fazer com que o paciente encontre verdadeiras melhorias.

Em São Paulo, um hospital já permite a entrada de animais no recinto clínico afim de promover melhorias dos pacientes, desde que essa autorização parta do paciente e também do médico que cuida do caso. Em outros casos, há instituições que promovem o bem estar de pessoas hospitalizadas através desses bichinhos.

É bom frisar que todos os animais que conhecemos nasceram para a terapia, sem exceção, eles são sinceros e totalmente abertos quanto a dar e receber carinho. Mas é importante que tenha cuidado ao escolher a raça, geralmente são mais recomendados aqueles que costumam ter em sua personalidade:

Cachorro (Foto: Reprodução)

  • Tranquilidade
  • Paciência

Ele será muito apertado, beijado, abraçado, etc, é importante que não se irrite com isso. Há dois tipos de animais que mais auxiliam nessa causa, os cães e os cavalos. Eles são (de natureza própria) animais dóceis e se dão melhor com os seres humanos.

Contudo, não é de se descartar a eficiência do amor de gatos, jabutis, peixes, aves e coelhos. Inacreditavelmente, até animais peçonhentos quando bem cuidados e acostumados com humanos podem ser incríveis terapeutas, como por exemplos as cobras, aranhas e outros animais.

O animal que faz parte do convívio do paciente a ser tratado pode ajudar muito mais, contudo existem cães especializados para o desenvolvimento dessa função. Aqueles que possuem cães em casa podem até mesmo fazer o tratamento no seu lar.

Dentre outros benefícios de ter um amiguinho desses, estão:

  • Estimulação do amor em crianças com autismo
  • Estimulação do amor em idosos com doenças
  • Ajudam no tratamento contra o câncer
  • Ajudam no tratamento de doenças cardíacas
  • Reduzem o estresse
  • Ajuda no tratamento de paralisia

Já são muitos os especialistas que apoiam a causa de ter contato direto com animais no tratamento de inúmeras doenças. Os resultados a longo prazo já estão confirmados, além é claro, da qualidade de vida e sensação de paz que esses pequenos podem transmitir.

De qualquer forma, mantenha sempre um bom relacionamento com seu cãozinho e se apoie nele nos momentos mais difíceis, inclusive da depressão. Quando você age dessa forma, não está levando apenas carinho a ele, mas também um benefício incrível para sua vida.