Quem pode participar do Sisu e do Prouni

O Governo Federal, tem realizado programas que ajudam os alunos das escolas públicas a ingressarem no ensino superior, sendo que dois desses programas são o Prouni e o Sisu.

Quem um dia foi aluno ou é um aluno, sabe a dificuldade que muitos possuem em escolher a carreira que seguirá após o término do ensino médio. Pois essa escolha dependerá do curso escolhido, incluindo a faculdade.

Porém, nem todo mundo tem a facilidade de ingressar na faculdade desejada por vários motivos, principalmente alunos da rede pública. Sabendo-se disso, os programas Prouni e Sisu dão luz a vida desses alunos.

Para participar desses programas é necessário que o aluno tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Tanto o Prouni, quanto o Sisu, possuem suas próprias regras, veja a seguir.

Sisu

O sistema de Educação Unificada, ou seja, o SISU, foi originado pelo Ministério da Educação no intuito de escolher alunos a partir da sua nota do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, para integrar nas instituições públicas de ensino superior.

Todo aluno que concluiu o ensino médio, poderá executar o exame para concorrer a uma vaga pelo SISU. Sendo assim, basta fazer a inscrição pelo site oficial do SISU, utilizando o mesmo número e senha do ENEM, porém é necessário ter feito o último exame realizado pelo ENEM.

É possível escolher dois cursos disponíveis nas instituições públicas para concorrer a uma dessas vagas. Lembre-se que o SISU ocorre duas vezes no ano, sendo um no primeiro semestre e o outro no segundo semestre.
Prouni

O Programa Universidade para Todos, ou seja, o Prouni, tem o propósito de propiciar bolsas de estudo para alunos da escola pública. São cursos de formação superior em faculdades ou em Universidades particulares.

Para ganhar essa bolsa o aluno precisará ter tirado mais de 450 pontos na prova e não ter zerado a redação, sendo que essa prova também é do ENEM. A bolsa de estudo poderá ser integral ou parcial, arcando com 50% da mensalidade do curso. O Prouni é especificamente para os alunos de renda baixa.

Entenda a seguir, a diferença do Sisu para o Prouni:

Sisu
• Programa voltado para os alunos estudarem nas Universidades Públicas do país
• Os alunos escolhidos para estudarem nessas Universidades precisarão tirar as melhores notas do Enem
• Para ser selecionado é necessário fazer a inscrição no site do Sisu
• O Sisu dispõe duas chamadas, possuindo também uma lista de espera

Prouni

• Programa voltado para os alunos estudarem nas Universidades Públicas do país
• O aluno precisa ter nota mínima de 450 pontos do Enem e não pode zerar na redação
• A renda familiar para bolsa integral, não pode ultrapassar um salário mínimo por pessoa. Sendo que para as bolsas parciais, a renda familiar não poderá ultrapassar três salários mínimos

Qual programa é melhor Sisu ou Prouni?

Os dois programas são ótimos para os alunos que almejam possuir um diploma do ensino superior, porém deve-se levar em conta a renda, pois o candidato que possui um nível de renda familiar alto, mesmo tendo estudado em escolas públicas, dificilmente conseguirá ingressar numa faculdade ou Universidade particular através do Prouni.

No entanto, os candidatos que escolhem o programa Sisu para ingressar numa Universidade pública, concorrerá de forma igual aos outros candidatos, independente da sua renda familiar. Diante isso, o Prouni, torna-se a melhor opção aos alunos de renda baixa.

Como alterar os dados do Enem?

Como alterar dados do Enem?

O Enem é um exame nacional que visa avaliar os conhecimentos de alunos de todo país. Ele acontece em todas as cidades (sem restrição) e a inscrição é sempre feita num período do ano. Essas são anunciadas nos principais meios de comunicação como TV, radio e internet.

Depois de haver efetuado sua inscrição, até um dia previsto e datado pelo sistema existe a possibilidade de fazer alteração. Ultrapassando esse tempo, nenhum aluno poderá mudar seus dados.

Para que tenha acesso ao sua conta e modifique, é necessário que se dirija ao portal oficial pela internet, através do endereço eletrônico www.sistemaenem.inep.gov.br e clique na opção “Acompanhe sua Inscrição”.

Enem  (Foto: Reprodução)

A página se dirigirá automaticamente ao pedido de algumas informações que lhe possibilitarão entrar em sua conta. Digite os seus dados e dê seguimento ao processo clicando em “Entrar”. É importante ressaltar que nem todas as informações podem ser alteradas, somente:

  • Local de realização da prova
  • Opção de prova de língua estrangeira
  • Portador de deficiência
  • Necessidade de atendimento específico
  • Data de nascimento
  • Dados pessoais
  • Endereço
  • Telefone
  • E-mail
  • Opção de certificação de Ensino Médio

O prazo de alterações do Enem:

Visando obter maiores informações sobre o exame, você poderá contar com o portal do aluno e ainda conhecer o “Enem – Passo a passo”, um portal do governo que disponibiliza informações passo a passo para todos os estudantes que irão realizar o exame naquele ano.

Para acessá-lo, basta clique aqui. Em caso de maiores informações, também será possível entrar em contato através do telefone 0800-616161.

Quem pode fazer o Enem?

Quem pode fazer o Enem?

O Enem é uma prova nacional que visa trazer benefícios aos alunos do Ensino Médio que desejem cursar a universidade no ano que se aproxima. Não é um exame obrigatório e está a disposição daqueles que realmente desejam utilizar o processo seletivo para se certificar.

Qualquer pessoa com idade superior a 14 anos pode fazer o Enem, não é necessário mais do que a inscrição através do site e o pagamento de uma taxa. Os interessados devem se dirigir ao site www.enem.com.br/inscricoes e efetuar a sua inscrição, todo o trâmite é bem simples.

Você só precisará preencher corretamente cada dado pedido durante o ato da inscrição, além disso necessitará de seus documentos pessoais como RG, CPF e algumas informações relacionadas ao cumprimento e o histórico escolar. A maioria dos vestibulares podem ser substituídos pelo Enem.

Enem (Foto: Reprodução)

As etapas referentes são dividas em 4 disciplinas que, agrupadas, formam cada uma um questionário com 45 perguntas. Dois deles são respondidos no primeiro dia e outros dois  no segundo, junto com a redação. Você pode estudar pela internet ou adquirir apostilas que custam em média R$99,00.

O prazo para inscrição vai do dia 12 de Maio até o dia 23 (sexta-feira). Apesar de não ser obrigatório, é válido para os que realmente gostariam de ingressar à universidade. Os botões de informações para efetuar sua inscrição são bem demonstrativos e grandes. Ao final você também poderá acompanhar e fazer alterações.

Não existe segredo NENHUM, todas as pessoas interessadas podem participar do processo seletivo. Alguns professores indicam que ainda que esteja no primeiro ano do Ensino Médio faça sua inscrição, a experiência é válida e totalmente eficaz. PARTICIPE!

Conteúdo para o ENEM 2014

O ENEM (exame nacional no ensino médio) é uma das provas mais importantes aplicadas no país. Trata-se de um forma do aluno conseguir ingressar no ensino superior e também de medir a qualidade da educação no país como um todo. Várias faculdades e universidades já aderiram ao ENEM, suspendendo até mesmo seus vestibulares.

Outra vantagem do ENEM é que sua nota pode ser lançada ao SISU e com isso, pode-se conseguir bolsas pelo FIES em muitas faculdades particulares espalhadas pelo país. Essas bolsas podem variar de 25%, 50%, 75% e até 100% em alguns casos. Por esses motivos, esse exame é um dos mais disputados do país.

Conteúdo para 2014

Muitas pessoas já estão começando a se preparar desde já para realizar essa importante etapa de suas vidas. Para isso, grande parte recorre a cursinhos preparatórios para vestibulares e ENEM. Esses cursinhos utilizam apostilas com o conteúdo programático previsto no edital da prova, geralmente de forma simplificada e resumida, cabendo aos professores explicar o excedente.

Para aqueles que estudam em casa, é sempre bom ter uma estratégia em mente. Comprar as apostilas de outros cursos já é um começo, mas procurar vídeo aulas na internet e dicas em sites educacionais podem dar uma guinada em suas noites em claro de esforço intelectual.

Como o edital para o ENEM 2014 ainda não está pronto, os interessados podem recorrer ao documento sobre as matrizes de referência educacional e também as provas anteriores, ambos divulgados pelo MEC. Para acessar as matrizes, clique aqui e para acessas as provas, aqui.

A prova do ENEM conta com questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias, além de uma redação a ser feita pelos concorrentes. A prova é realizada em dois dias, sendo que linguagens, matemática e redação ficam para o segundo dia.

Como calcular a nota do Enem

Quando dizem que o ENEM é um dos sistemas mais justos de avaliação por prova já introduzidos em nosso país, não é atoa. A forma aplicada para corrigir e dar nota as provas do Exame Nacional do Ensino Médio passam longe de apenas somar os pontos obtidos independentemente de qualquer outra coisa.

O cálculo feito para avaliar as provas do exame é extremamente complexo, sendo realizado por máquinas que possuem softwares específicos para esse fim. Isso quer dizer que o sistema possui vários níveis burocráticos de avaliação que são levados em consideração na pontuação do aluno. Isso possibilita a famosa situação em que um aluno que acertou mais tirou nota menor do que acertou menos.

É preciso saber em primeiro lugar que cada questão da prova tem um nível de dificuldade que faz toda a diferença. Cada nível de dificuldade vale uma pontuação diferente e é por isso que é difícil fazer o cálculo, pois nunca se sabe qual questão pertence a qual nível. Além disso, o sistema de TRI – Teoria de Resposta ao Item – prevê possíveis chutes dos candidatos.

Praticamente, o sistema pode considerar que um aluno chutou questões mais difíceis e as acertou caso o candidato tenha errado questões mais fáceis da mesma linha de assuntos. Ou seja, se o candidato errou questões simples de uma determinada linha de raciocínio, as questões mais complexas dessa mesma linha que ele acertar não valerão tantos pontos.

Caso o aluno acerte mais questões fáceis e poucas difíceis, sua nota consequentemente será maior, pois ele mostra ao sistema que possui um certo domínio do assunto e que sua prova não é resultado de chutes. Assim, o candidato que tem facilidade em certa área, pode se dedicar mais a essa área, tentando acertar o máximo possível e nas outras, tentando acertar as questões mais fáceis.

O método pedagógico empregado na correção é preciso e tem se mostrado muito eficiente nos exames. Isso garantiu uma forma mais democrática de seleção dos alunos que entrarão na Universidade, uma vez que o sistema de correção de vestibulares não chega nem perto dessa complexidade. Não é possível calcular a nota do Enem em casa, pois os valores mudam a cada prova.

O jeito é esperar que o INEP apresente as notas oficialmente para que elas sejam utilizadas no Sisu pelo candidato. Para saber mais sobre o método de correção, baixe o arquivo PDF oficial disponibilizado pelo MEC explicando o sistema nesse link.