Como conquistar uma amiga da escola para namorar

Existem amizades que se tornam tão especiais, que a partir de um certo momento aquele laço de amizade acaba se transformando num laço amoroso, por exemplo, não é incomum se apaixonar por uma amiga especial.

Muitos amores surgem justamente de uma amizade, pois os momentos juntos são adoráveis e recheados de diálogos interessantes. Sendo assim, é impossível não se apaixonar por uma amiga que o deixa tão à vontade.

Talvez antes você não percebesse o quanto o sorriso dela é bonito e cada vez mais descobre coisas bonitas no jeito e na fala dessa amiga. Porém, nem sempre é fácil abrir o coração, portanto, veja a seguir uma lista do que é necessário saber para iniciar a conquista.

Para conquistar a sua amiga é necessário primeiramente saber as seguintes coisas:

• Analisar os prós e os contras para não estragar uma amizade importante.
• Perceber que a atração é recíproca.
• Pense muito para não agir com impulsividade
• Quando tiver certeza dos seus sentimentos, prepare-se para agir com sutileza.

Todos esses itens são importantes para não estragar uma amizade tão importante, entenda que se existe a certeza de que ela só o vê como amigo, não adianta jogar todos os seus sentimentos no ventilador, pois deixará um clima ruim na amizade de vocês.

Veja a seguir, as melhores dicas de como conquistar uma amiga da escola:

Indiretas

Indiretas são sempre bem vindas para demonstrar implicitamente o seu interesse na garota, assim, ela poderá interpretar os seus sentimentos, demonstrando também indiretamente os sentimentos dela.

Sendo assim, fique atento aos sinais da garota para que você saiba captar de maneira correta, pode ser que ela corresponda positivamente as suas indiretas e pode ser que ela corresponda negativamente, logo, esteja preparado para interpretar cada gesto e palavra.

Comunique outros amigos

Fale sobre os seus sentimentos com aqueles amigos que você realmente confia, ou seja, aqueles amigos que não sairão fofocando para a escola todos os seus sentimentos.

Conversar com um amigo de confiança é um ato positivo, pois poderá receber conselhos que o farão enxergar a situação de uma forma mais clara, além disso, os seus amigos poderão dizer quais são as melhores atitudes a serem tomadas no momento.

Demonstre os seus sentimentos

Comece a demonstrar os seus sentimentos de forma singela, por exemplo, elogie a sua roupa, cabelo, etc. Quando estiverem passeando perto de um canteiro com rosas pegue uma e dê a ela de uma forma que demonstre o quanto ela é especial.

Não hesite em presenteá-la com um chocolate no intervalo, nem em perguntar se ela precisa de ajuda para estudar para a prova. Pergunte como está a situação dela diante os estudos. Assuntos assim, poderão demonstrar para a sua amiga o quanto você gosta dela.

Naturalidade para conquistar

Tenha naturalidade para conquistar a sua amiga, não precipite nenhum ato. Posto isto, convide-a para um passeio, como um cinema, teatro ou até mesmo um jantar mais romântico.

É importante agir com naturalidade para que ela não pense que você está apenas tentando impressioná-la. Continue sendo o mesmo amigo de sempre, só que dessa vez demonstrando com naturalidade os seus sentimentos.

Atitude

Será necessário ter muita atitude para confessar os seus sentimentos a amiga desejada, principalmente depois de perceber que os sinais dela foram positivos em relação as suas conquistas.

Por conseguinte, não fique esperando que aconteça um milagre, tenha atitude para dizer com cautela o quanto você gosta dela. Porém, não seja apressado, talvez ela precise de um tempo para pensar sobre vocês.

Deixe acontecer naturalmente

Depois de ter se declarado, deixe que as coisas aconteçam naturalmente. Caso, vocês fiquem juntos em um relacionamento amoroso, não deixe que o laço de amizade acabe.

Será necessário muita maturidade para viver um romance com a sua amiga, pois você precisará manter a cautela diante os seus sentimentos, para que a amada não fique sentindo-se pressionada.

Veja a seguir, mais dicas que podem colaborar na conquista:

Esteja presente: Não fique distante da sua amiga, pois para conquista-la é necessário se fazer presente, até mesmo nos pequenos detalhes, por exemplo, pegar algo que ela tenha deixado cair no chão e participar dos momentos comunicativos da galera.

Seja inteligente: Deixe que a sua amiga perceba o quanto você é inteligente, por exemplo, ao ensiná-la aquela matéria em que ela não tira notas muito boas, mas que você sim. Responda algumas perguntas feitas pelo professor, mas somente as que você tem certeza da resposta. Levante questões e debates que são importantes em sala de aula.

Boa aparência: Procure ter um estilo próprio, pois é sempre importante manter a sua personalidade ao se vestir. Coloque uma roupa bonita, arrume o cabelo e use um bom perfume para chamar a atenção da amiga desejada.

Confiança: Tenha confiança em si, use táticas, como interagir com outras garotas da escola. Demonstre segurança, pois toda garota gosta disso em um homem e passa a enxergar de forma diferente alguém que tem confiança em si.

Grupos de estudos: Crie grupos de estudos, pois é uma ótima tática para se aproximar da garota desejada. Veja a matéria que ela tem mais dúvida e a convide para um grupo de estudos.

Utilize o intervalo: O intervalo é um ótimo momento para colocar todos os seus planos em ação, busque assuntos que vocês tem em comum, interaja com ela e os amigos que estiverem presente.

Atencioso: Muitas garotas gostam de falar sem parar sobre a sua vida, sendo assim, aproveite esses momentos para demonstrar a sua atenção e carinho por ela. Garotas não gostam de conversar com pessoas que não prestam atenção no que elas dizem. Por isso dê sempre a oportunidade para que ela fale sobre si, porém fale sobre você também, mas não esqueça as suas prioridades, sendo que a principal é conquistar a garota.

O poder do café no segundo reinado

O poder do café no Segundo Reinado foi a principal base da economia, dado que o Brasil passou por uma grave crise econômica diante o caimento da mineração e da produção de açúcar.

Foi no norte do país na metade do século XIX, que foram plantadas as primeiras mudas de café, no entanto, o solo e o clima dessa parte, não eram favoráveis para a plantação do café.

Localizava-se no sudeste do país, o solo favorável para a plantação do café, logo, nos brejos e pântanos drenados da baixada fluminense, estavam as primeiras e amplas lavouras, estendendo-se para o oeste de São Paulo e para o sudoeste de Minas Gerais.

Ao contrário das primícias da produção de cana-de-açúcar na época colonial, os fazendeiros e alguns comerciantes, propiciaram os próprios capitais iniciais para as lavouras, sem necessidade de investimentos externos.

A produção de café usou como força de trabalho até o fim do Império, os africanos escravizados. Porém, com a Lei Eusébio de Queiróz de 1850, estava cada vez mais complicado ter acesso aos escravos, dado que havia também a imposição inglesa pelo fim do tráfico de escravos.

Posto isto, os preços subiram, tornando o trabalho totalmente oneroso, fazendo com que outras medidas fossem tomadas, para ordenar a força de trabalho nos cafezais, por exemplo, a utilização de trabalhadores livres.

A escapatória foi incitar a vinda de famílias europeias, especialmente em São Paulo. Pois, o trabalho escravo já não era tão econômico como o trabalho livre e a visão era iniciar novas técnicas de plantio, por exemplo, a mecanização.

Não havia disposição no trabalho escravo para trabalhar assim, logo não havia produtividade, pois começaria a utilização de novas ferramentas para a produção da lavoura.

Para acontecer a imigração, o fazendeiro tinha o dever de financiar a chegada de cada família europeia, somente assim eles trabalhariam nas lavouras. Esse financiamento foi chamado de parcerias, no entanto, muitos não cumpriram o prometido, ocasionando conflitos, como na fazenda do senador Nicolau de Campos Vergueiro, em Ibicaba, 1856.

Sendo assim, as parcerias foram se desmanchando, mas o governo imperial tinha grande interesse na produção cafeeira e instigou o Estado a financiar a imigração a partir de auxílios e benefícios.

Muitos fazendeiros passaram a defender o fim da escravidão no país, especialmente os fazendeiros de São Paulo, pois acontecia nessa mesma época a agilidade diante a economia fluída pelo trabalho livre.

Entre 1861 e 1885, foi assegurado o superávit da balança comercial brasileira, graças ao poder do café para a economia. Por conseguinte, em 1880, o café passou a ser o responsável por 61% das exportações do Império.

Além disso, a produção cafeeira foi responsável por outros negócios, como o transporte e a venda do café, fazendo com que os fazendeiros se tornassem acionistas de empresas.

Nas casas de comércio externo, trabalhava o comissário do café, que participava também da organização da produção e da logística de transporte, gerando acúmulo de capital, que contribuiu para formação de instituições financeiras e empresas de importação.

Logo, o café despertou a modernização da sociedade brasileira, dando início a urbanização de alguns locais, como no Rio de Janeiro e São Paulo. Até mesmo no interior paulistano, como Campinas e Sorocaba, houve a urbanização diante o capital acumulado dos fazendeiros.

Nas ferrovias, estavam o principal símbolo da modernização, visto que a primeira ferrovia foi construída em 1854, entre o Rio de Janeiro e Petrópolis, ocasionando uma grande expansão.

Os custos do transporte de café diminuíram, graças as ferrovias, que também favoreceu o contato com os portos exportadores, principalmente no litoral paulistano, em Santos.

Compreenda que a expansão ferroviária brasileira, necessitou não só dos capitais brasileiros, mas também dos capitais de estrangeiros, especialmente dos ingleses. As ferrovias, causaram impacto no país, pois a população passou a se beneficiar das inovações técnicas do capitalismo.

Doenças causada por protozoários e fungos

Fungos

Os fungos fazem parte do reino Fungi, que são fragmentados em cinco Filos:

• Quitridiomicetos
• Ascomicetos
• Basidiomicetos
• Zigomicetos
• Deuteromicetos

Compreenda que os fungos são seres:

• Microscópicos
• Unicelulares ou pluricelulares
• Eucariotas, possuindo apenas um núcleo celular
• Heterótrofos

Existem mais ou menos um milhão e meio de espécies de fungos que vivem no Planeta Terra, por exemplo:

• Cogumelos
• Leveduras
• Bolores
• Mofos

Por mais que os fungos possuam um lado negativo, transmitindo doenças aos seres humanos, animais e plantas. Os fungos possuem também o seu lado positivo, servindo para a medicina, culinária e como produtos domésticos.

Os fungos podem ser encontrados no solo, na água, nos vegetais, animais e também nos seres humanos. O vento é um dos causadores que colaboram para reprodução e proliferação dos fungos, pois ele espalha os propágulos e partes de hifa. Sendo assim, os fungos podem reproduzir de forma sexuada ou assexuada.

A reprodução assexuada pode suceder-se pelo brotamento e via esporulação, além da fragmentação do micélio que gera novos organismos graças as mitoses sucessivas, lembrando que não há fusão dos núcleos.

Já a reprodução sexuada ocorre pelos dois esporos, que possuem três fases, sendo a plasmogamia (Fusão de protoplasma), Cariogamia (Fusão de dois núcleos haploides (n) para formar um núcleo diploide (2n) e Meiose (Núcleo diploide reduz formando dois núcleos haploides).

Os fungos não produzem seu próprio alimento, por isso disponibilizam enzima denominada de exoenzima. Veja a seguir:

Fungos Parasitas: Substâncias de organismos vivos é o seu alimento.
Fungos Saprófagos: Adquirem o seu alimento decompondo organismos mortos.
Fungos Predatores: O seu alimento são animais pequenos que conseguem capturando.

Doenças ocasionadas pelos Fungos:

• Micoses: atingem a pele, unha e cabelos.
• Frieiras: causada pelo fungo Tricophyton.
• Sapinho: causada pelo fungo Candida albicans.
• Candidíase: causada pelo fungo Candida ou Candida albicans.
• Histoplasmose: causada pelo fungo Histoplasma capsulatum.

Importante

Entenda que foi necessário muitas pesquisas para diferenciar os fungos das plantas, foi em 1969 que eles foram considerados do Reino Fungi. Sendo assim, Micologia é a ciência que estuda os fungos. A maioria dos fungos alimentam-se de seres em decomposição, esses fungos são chamados de saprofágica.

Os Protozoários

Os protozoários pertencem ao Reino dos Protistas e já foi confundido no início dos seus estudos como animais, porém são seres heterótrofos, que podem viver isolados ou juntar-se a outros organismos. Os protozoários são organismo:

• Eucarióticos
• Unilaterais

Podem ser encontrados em ambientes:

• Aquáticos
• Úmidos

O modo de locomoção é a classificação dos protozoários. Veja a seguir:

Protozoários ciliados: sua locomoção se dá graças as estruturas de cílios, como o Paramecium.

Protozoário flagelados: locomovem-se pelo auxilio dos flagelos, com o Tripanosoma cruzi, culpado pela doença chagas.

Protozoário Sarcodíneos ou Rizópodes: Tendo as amebas como exemplo de sarcodíneo, esse protozoário se locomove alcançando pseudópodes, que são expansões em sua célula que agem como “falsos pés”.

Protozoário Esporozoários: Considerado todos os parasitas que causam doença. Não contém estruturas de locomoção, mas possui o grande causador da malária, que é o plasmódio.

A reprodução dos protozoários são assexuada, possuindo uma divisão binária, porém algumas espécies apresentam reprodução sexuada, pois possuem fusão com formação de zigoto.

Doenças causadas por protozoários:

• Malária: transmitida pela picada da fêmea do mosquito Anopheles infectada por Plasmodium.
• Ambíase: infecção por protozoários da Entamoeba hystolitica.
• Chagas: causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, que se adquire por meio do contato direto com as fezes do inseto chamado “barbeiro”.
• Giardíase: infecção causada por parasitas flagelados da Giardia lamblia que se prende à parede do intestino delgado.
• Tricomoníase: a infecção na vagina ou trato genital masculino causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis.

As doenças causadas por protozoários envolvem locais de parasitismo como:

• Sangue
• Tupo digestório

Podendo instalar também:

• Na pele
• Coração
• Órgãos do sistema genital

Formas de Governo Monarquia

A monarquia é uma forma de governo que possui o monarca, denominado rei ou rainha, como autoridade do Estado. Sendo assim, o cargo como chefe de Estado é passado de pai para filho, ou seja, de forma hereditária.

Logo, o poder diante o Estado é devotado somente a uma pessoa, sendo pois, o monarca. Diante isso, o monarca governa de maneira vitalícia, para sair do seu posto é preciso que ele morra ou abdique. Compreenda que não existe eleições para a escolha do líder.

Sendo comum, a monarquia, principalmente para os países da Europa no decorrer da Idade Média e Moderna, a monarquia ficou marcada como absoluta, pois os monarcas governavam com o total poder. Esse quadro mudou com a Revolução Francesa em 1789, pois com a decadência desse sistema de governo, a República foi nomeada.

Hoje, os monarcas são vistos apenas como uma tradição, pois já não possuem poder absoluto diante a política. Países como Reino Unido, Noruega, Austrália, Canadá, Suécia, Japão e Dinamarca, possuem monarquias chamadas de Constitucionais.

Monarquia Constitucional

Foi no século XVIII, na Europa, que ocorreu a monarquia constitucional, logo após a Revolução Francesa. Entenda que a monarquia constitucional é uma maneira democrática de Estado.

O rei tem a obrigação de manter o funcionamento das instituições, porém não tem função legislativa. Sendo assim, a Monarquia Constitucional, chamada também de Monarquia Parlamentar, que é eleita pelo povo, possui autoridade legislativa.

O parlamento tem a função de fiscalizar as atividades do primeiro-ministro, eleito como Chefe do Governo. Na época atual, as monarquias que ainda são efetivas na Europa são constitucionais ou parlamentares, tendo como liderança exercida pelo Primeiro-Ministro ou pelo presidente de um Conselho de Ministros.

Monarquia Absoluta

A monarquia absoluta, possui o rei como absoluto, ou seja, ele exerce o Poder Executivo e Legislativo. Esse poder absoluto exercido pelo rei foi mantido entre os séculos XVI e XVII, pela maioria dos estados europeus.

Constate que o rei era considerado o único responsável pelo destino de seus súbitos, ou seja, do povo. O rei francês Luis XVI, considerado o rei-sol, disse a seguinte frase: “o Estado sou eu”, que representa a monarquia absoluta. Ele foi muito famoso e governou entre os séculos XVII e XVIII.

Os senhores feudais apoiavam totalmente ao rei e a sua forma de governar como monarquia absoluta. Porém, no século XVIII, esse quadro passou a mudar, pois reformas políticas foram proclamadas.

Monarquia no Brasil

Sim, o Brasil já teve monarquia nos reinados de D. Pedro I e D. Pedro II, nos anos de 1822 e 1889.

Curiosidades sobre a monarquia:

• O Japão é a monarquia mais antiga do mundo e possui o sistema de governo parlamentarista.
• Os monarcas, exerciam poder absoluto, com referência na tradição e no direito divino. Havia um mito do “direito divino”, acreditavam que Deus escolhia os reis para estarem no poder do Estado.
• Hoje, nos estados modernos, os monarcas já não influenciam nos discursos políticos, eles apenas representam simbolicamente a tradição e servem como identidade nacional.
• Os monarcas viviam nas cortes e os cidadão eram chamados de súbitos.
• O rei, durante a monarquia absoluta, tinha total poder e não sofria nenhum tipo de oposição dos seus súditos, pois havia a sua riqueza, seus exércitos e a adoração religiosa da população. Coisa que também aconteceu na época dos faraós do Egito e com os imperadores romanos.
• Compreenda que a igreja católica era a única instituição que tinha total pode sobre a população.
• A monarquia foi perdendo espaço com o surgimento das ideias humanistas, principalmente iluministas, pois os homens passaram a ter um valor que antes não tinham.
• Não existe, atualmente, nenhuma monarquia absolutista, apenas monarquia constitucionais, delimitados pelo poder parlamentar.

Quem pode participar do Sisu e do Prouni

O Governo Federal, tem realizado programas que ajudam os alunos das escolas públicas a ingressarem no ensino superior, sendo que dois desses programas são o Prouni e o Sisu.

Quem um dia foi aluno ou é um aluno, sabe a dificuldade que muitos possuem em escolher a carreira que seguirá após o término do ensino médio. Pois essa escolha dependerá do curso escolhido, incluindo a faculdade.

Porém, nem todo mundo tem a facilidade de ingressar na faculdade desejada por vários motivos, principalmente alunos da rede pública. Sabendo-se disso, os programas Prouni e Sisu dão luz a vida desses alunos.

Para participar desses programas é necessário que o aluno tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Tanto o Prouni, quanto o Sisu, possuem suas próprias regras, veja a seguir.

Sisu

O sistema de Educação Unificada, ou seja, o SISU, foi originado pelo Ministério da Educação no intuito de escolher alunos a partir da sua nota do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, para integrar nas instituições públicas de ensino superior.

Todo aluno que concluiu o ensino médio, poderá executar o exame para concorrer a uma vaga pelo SISU. Sendo assim, basta fazer a inscrição pelo site oficial do SISU, utilizando o mesmo número e senha do ENEM, porém é necessário ter feito o último exame realizado pelo ENEM.

É possível escolher dois cursos disponíveis nas instituições públicas para concorrer a uma dessas vagas. Lembre-se que o SISU ocorre duas vezes no ano, sendo um no primeiro semestre e o outro no segundo semestre.
Prouni

O Programa Universidade para Todos, ou seja, o Prouni, tem o propósito de propiciar bolsas de estudo para alunos da escola pública. São cursos de formação superior em faculdades ou em Universidades particulares.

Para ganhar essa bolsa o aluno precisará ter tirado mais de 450 pontos na prova e não ter zerado a redação, sendo que essa prova também é do ENEM. A bolsa de estudo poderá ser integral ou parcial, arcando com 50% da mensalidade do curso. O Prouni é especificamente para os alunos de renda baixa.

Entenda a seguir, a diferença do Sisu para o Prouni:

Sisu
• Programa voltado para os alunos estudarem nas Universidades Públicas do país
• Os alunos escolhidos para estudarem nessas Universidades precisarão tirar as melhores notas do Enem
• Para ser selecionado é necessário fazer a inscrição no site do Sisu
• O Sisu dispõe duas chamadas, possuindo também uma lista de espera

Prouni

• Programa voltado para os alunos estudarem nas Universidades Públicas do país
• O aluno precisa ter nota mínima de 450 pontos do Enem e não pode zerar na redação
• A renda familiar para bolsa integral, não pode ultrapassar um salário mínimo por pessoa. Sendo que para as bolsas parciais, a renda familiar não poderá ultrapassar três salários mínimos

Qual programa é melhor Sisu ou Prouni?

Os dois programas são ótimos para os alunos que almejam possuir um diploma do ensino superior, porém deve-se levar em conta a renda, pois o candidato que possui um nível de renda familiar alto, mesmo tendo estudado em escolas públicas, dificilmente conseguirá ingressar numa faculdade ou Universidade particular através do Prouni.

No entanto, os candidatos que escolhem o programa Sisu para ingressar numa Universidade pública, concorrerá de forma igual aos outros candidatos, independente da sua renda familiar. Diante isso, o Prouni, torna-se a melhor opção aos alunos de renda baixa.