Formas de relevo do estado do Ceará

Ceará: Estado brasileiro localizado na região nordeste

Capital do estado: Fortaleza

Extensão territorial: 146.348 km

Medida do litoral: 573 km

Limites geográficos: Oceano Atlântico (norte); Pernambuco (sul); Rio Grande e Paraíba (leste); Piauí (oeste)

Fronteiras com os estados: Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Piauí.

Antes de iniciarmos é preciso entender que o Estado do Ceará é constituído por chapadas e costas. Logo, surge a Depressão Sertaneja, nome dado para a região central do Estado, junto as Serras e Inselbergs. Veja a seguir:

• Costa da Ibiapaba: a oeste
• Chapada do Apodi: a leste
• Chapada do Araripe: a sul
• Oceano Atlântico: a norte

O Ceará possui formação sedimentar nas chapadas e costas, ao contrário das serras localizadas no interior da Depressão Sertaneja, que são maciços velhos de origem cristalina.

O Maciço de Baturité, também chamado de Serra de Baturité, são as serras úmidas do Ceará, incluindo também a Serra da Meruoca, Serra de Uruburetama, Serra de Maranguape e a Serra do Machado.

São Serras que apresentam maiores pluviosidade e vegetação de floresta tropical, principalmente nas encostas de barlavento, essas serras possuem relevo mais alto, sendo acima de 600m, logo o seu clima é o mais úmido.

Pedaços da caatinga hipoxerófilas surgem perto das encostas de sotavento, porém não são tão inerentes a Depressão Sertaneja. Mesmo com uma altitude maior, o Sertão cearense não é favorecido pelas chuvas ocorridas, pois as suas elevações cristalinas não tem altura razoável.

Ademais das serras de solo cristalino, os inselbergs, são vestígios de relevos passados, que aparecem no Sertão, esses inselbergs, surgem especialmente em torno da região de Quixadá, com características e formatos intrínsecos.

Chapadas e costas

O mais alto que esse relevo atinge são altitudes médias de 750m, mas pode chegar a altitudes superiores a 900m, em outras cidades. Sendo assim, o clima é diferente dependendo da morfologia e geografia do local, logo, possui uma vegetação diversificada, compondo-se de caatinga, carrasco, cerradão e floresta tropical.

Chapada do Araripe, possuem escarpas que geram fontes naturais e mananciais que molham o sopé do altiplano. Por conseguinte, é no sopé da chapada que os solos se mostram fertilizados.

Já a Costa da Ibiapaba, possui altitudes médias de 750m, ocorrendo variações climáticas de norte a sul. A Depressão sertaneja possui uma vegetação frondosa e densa.

A partir da cidade de São Benedito, dá-se uma forte pluviosidade do território cearense, acima de 2.000m. Em contrapartida, no oeste, as chuvas não são tão fortes e mostram um clima semi-árido.

O mesmo acontece do norte para o sul, pois são reduzidas as pluviosidades, que dá-se a predominância da caantiga no sul da costa. Já a Serra de Ubajara, é conhecida por suas cachoeiras e grutas, assim como a Bica do Ipu, da qual as águas são arremessadas do Pico Angelim, localizada na Serra da Amontada, a 130m de altitude.

Chapada do Apodi, fica no lado leste do Estado, não passa de 250m de altitude e possui relevo tabular de origem sedimentar. Desta maneira, não se favorece de maiores pluviosidades, nem de temperaturas amenas e umidades maiores.

Curiosidades sobre o Ceará:

• O clima do Ceará é semi-árido
• A temperatura média anual do Ceará é de 29°C
• A caatinga ocupa quase 90% do território cearense, logo, o restante é preenchido por cerrado
• O solo do Ceará é constituído por rochas sedimentares e por cristalino
• Nas épocas de seca, os rios cearenses secam
• A região norte é a que possui os rios menores
• Rio do Jaguaribe é a maior bacia hidrográfica do Ceará, sendo que o território cearense é dividido em sete bacia hidrográficas.

Descubra onde fica a nascente do rio nilo qual é a extensão do rio

O Nilo é um rio que se situa no continente africano, estando a sua nascente ao sul da linha do Equador. É o maior rio de todo o planeta, tendo cerca de 7.088 km em extensão e ocupando uma área de 3.349.000 km².

Ele atravessa diversos países como Uganda, Tanzânia, Ruanda, Quénia, República Democrática do Congo, Burundi, Sudão, Sudão do Sul, Etiópia e Egito. Sua fonte mais remota se situa no “Nyungwe National Park” do Rwanda.

O rio Nilo deve a sua formação pela confluência de três rios: o Nilo Branco, o Nilo Azul e rio Atbara. Antigamente acreditava-se que o Nilo nascia no lago Vitória, entretanto estudos na região comprovaram que o próprio lago tem como origem o rio Kagera, o que torna ele a fonte no Nilo.

O Nilo e o Egito

Rio Nilo.
(Foto: Reprodução)

O Rio Nilo foi fundamental para o povo do Antigo Egito, tal civilização surgiu há 5 mil anos em um deserto do continente africano e  não teria sobrevivido se não fosse a ajuda do maior rio do mundo para suprir suas necessidades.

Durante o período da cheia, entre junho e setembro ele transbordava, fazendo com que o solo fosse fertilizado com matéria orgânica (humus), fenômeno o qual era o mais importante do rio para o país. A pesca também se tornou com o tempo uma atividade bastante presente, pois o mesmo tinha peixes em abundância, servindo desta forma para a comercialização e para o consumo do próprio povo.

De forma indireta, também ajudou o povo a desenvolver sua inteligência, pois os egípcios tinham que medir, calcular e planejar durante os períodos de cheia, movendo a população e construindo diques para proteger a cidade de possíveis catástrofes. Resultando assim no desenvolvimento da matemática e da geometria.

Como na época não haviam muitas estradas, muito menos automóveis, o rio servia para locomoção e transporte de pessoas e cargas, em embarcações dos mais diversos tamanhos.

O Nilo hoje

Hoje o rio ainda é muito importante, pois alimenta a usina hidrelétrica de Aswan, a qual foi construída em 1971 e teve um impacto direto na vida dos agricultores, uma vez que o rio não tem mais períodos de cheias ou vazantes, obrigando tais trabalhadores a adotarem métodos convencionais para o cultivo.

Curiosidade

De acordo com entidades da comunidade científica internacional, o rio Amazonas é o maior de todo o mundo, tendo sua origem nos Andes, no Peru, entretanto essa é uma questão ainda bastante polêmica e o tamanho dos dois rios ainda está em aberto, pois nenhum dos valores informados sobre a extensão foi confirmado e aceito oficialmente.

Como definir uma matéria intemperizável

Também conhecido como meteorização, o intemperismo se trata de um aglomerado de processos que alteram as rochas em sua composição física e química, muitas vezes levando a sua degradação e enfraquecimento. As causas do mesmo podem ser as mais diversas, confira a seguir:

Clima

Como a água é o principal agente que transporta os produtos que resultam no intemperismo, a distribuição sazonal das chuvas se torna um dos fatores mais relevantes neste acontecimento, uma vez que as variações de temperatura que as rochas sofrem contribuem para sua fragmentação.

Relevo

Rochas.
(Foto: Reprodução)

Mais uma vez, em relação ao fluxo das chuvas, dependendo da velocidade que ocorra, é determinada a maior ou menor infiltração no solo pelo relevo. Por exemplo, em encostas que possuem declives acentuados a água ficará em contato com as rochas por pouco tempo, não promovendo desta forma as reações químicas adequadas.

Rocha-Mãe

A sua resistência à decomposição e à desagregação depende de qual a composição mineralógica, textura e estrutura da rocha-mãe, pois os primeiros minerais se cristalizam quando acontece o momento de resfriamento do magma, são os mais instáveis quando expostos a condições de pressão e temperatura.

Tempo

Quanto maior o período de exposição de uma rocha, mais susceptível ela estará a sofrer ações intempéricas. Estima-se que em um milhão de anos o relevo seja rebaixado de 20 a 50 metros por conta do intemperismo.

Fauna e Flora

Com importância menor, mas não devendo ser ignoradas, temos a fauna e flora que atuam no fornecimento de matéria orgânica para as reações químicas e remobilizando materiais.

Agora que você já sabe quais são as causas do intemperismo, vamos conhecer as três formas que ele pode agir sobre uma rocha:

» Físico – ocorre quando há variação de temperatura nas rochas, acontecendo tipicamente em regiões onde o clima é mais seco, seja frio ou quente. Nele acontece a desagregação da rocha, onde os seus grãos minerais são separados e a massa rochosa original é fragmentada. A intensidade desse fenômeno varia de acordo com o grau de pluviosidade, temperatura e vegetações.

» Químico – este fenômeno ocorre mediante fatores relacionados a dissolução da água em geleiras e também à cristalização em fraturas, o que acarreta no esfacelamento em blocos de rochas devido ao aumento de volume da água durante a formação do gelo. Nele acontece a decomposição dos minerais primários da rocha, resultando em diversas reações químicas, como por exemplo, a oxidação, hidratação, dissolução, hidrólise e acidólise.

» Biológico – bem menos importante que os citados anteriormente, é resultado da ação das bactérias e produz a decomposição biótica de materiais orgânicos. É a partir deste fenômeno que se resulta os solos mais férteis do mundo, sendo bastante encontrados em países como Rússia e Ucrânia.

Quantos países existem na América do Sul?

O planeta Terra é dividido em seis continentes, sendo eles América, Europa, Ásia, África, Oceania e Antártida. A América é dividida em três subcontinentes: América do Norte, Central e do Sul.

A América do Sul está localizada em sua maioria no hemisfério sul do planeta, abrangendo um território de cerca de 18 milhões de quilômetros quadrados. A mesma é banhada por dois oceanos: a oeste pelo Pacífico e a leste pelo Atlântico.

A América do Sul é composta atualmente por 12 países e 3 território ultramarinos, confira a seguir algumas das características de cada um deles:

Argentina

Com o nome oficial de República Argentina, este país tem hoje como seu sistema de governo a república federativa presidencialista, a capital é Buenos Aires e sua língua oficial é o espanhol. A Argentina é o segundo maior país do continente e o terceiro em número populacional, sendo constituída por 23 províncias e uma cidade autônoma, que no caso é a capital Buenos Aires.

Bolívia

O nome oficial do país é Estado Plurinacoinal da Bolívia, tem como sistema de governo a república, a capital é La Paz e as línguas oficiais são o espanhol, língua quíchua e aimará. A Bolívia é dividida em nove departamentos, possuindo geograficamente duas regiões distintas, o altiplano a oeste e Bacia do Rio da Prata ao sul.

América do Sul.
(Foto: Reprodução)

Brasil

O Brasil é o maior país da América do Sul, sendo o quinto maior em extensão territorial de todo o mundo. Atualmente tem 202 milhões de habitantes e tem como língua oficial o português. Em decorrência da grande migração que houve no país na época da colonização o Brasil é hoje uma das nações com maior diversidade étnica e cultural.

Chile

A República do Chile tem como capital Santiago e língua oficial o espanhol. É no Chile que se localizada boa parte da Cordilheira dos Andes, sendo banhado então pelo oceano Pacífico. Por ser um país muito grande em extensão o clima é bastante variado, o qual varia entre seco, mediterrâneo, alpino propenso a neve e desértico.

Colômbia

Oficialmente chamada República da Colômbia, tem como capital Bogotá e língua formal o espanhol. O território que o país ocupa atualmente foi originalmente palco da vida de tribos indígenas, como por exemplo, os chibchas, quimbaya e taironas.

Equador

Como nome oficial República do Equador e língua o espanhol, este país tem como sistema de governo a República Presidencialista e a capital é Quito. Este é um país que possui várias espécies endêmicas, estando a maioria delas nas ilhas Galápagos.

Guiana

A República Cooperativa da Guiana, a qual era conhecida como Guiana Inglesa, é um país que teve uma colônia neerlandesa, assim seu idioma oficial é o inglês britânico e a capital é Georgetown. A independência do Reino Unido foi conquistada no ano 1966.

Paraguai

A república do Paraguai tem como língua oficial o espanhol e o guarani, sua capital é Assunção. O Paraguai é um dos únicos países da América do Sul que não é banhado por alguma oceano. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do país é de 0,669, o qual é um dos mais baixos de todo o continente.

Peru

Oficialmente conhecido como República do Peru, este país tem como capital Lima, língua oficial espanhol e guarani e como sistema de governo a república presidencialista. É reconhecida por atividades econômicas como a exploração mineral, a agriculta e a pesca.

Suriname

A República do Suriname é um país que tem como língua oficial o holandês, a capital é Paramaribo e o sistema de governo é o parlamentarismo. O clima é tropical e muito quente, dividindo o ano em estações chuvosas e secas bastante definidas.

Uruguai

Com a capital situada em Montevidéu e idioma oficial espanhol, a República Oriental do Uruguai tem como sistema de governo a república presidencialista. A única fronteira do país é com o Brasil, no estado do Rio Grande do Sul, sendo o segundo menor país que compõe a América do Sul, ficando na frente apenas do Suriname.

Venezuela

Oficialmente chamada República Bolivariana da Venezuela, este país de clima tropical tem como língua oficial o espanhol e a capital é a cidade de Caracas. É um dos países mais urbanizados de todo a América Latina e tem um IDH relativamente elevado, cerca de 0,764.

Os territórios ultramarinos que fazem parte da América do Sul são:

  • Ilhas Falklands
  • Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul
  • Guiana Francesa

Solos argilosos

No Brasil é possível encontrar diferentes tipos de solos, que se distinguem mediante as suas peculiaridades, como por exemplo, densidade, textura, consistência, cor, propriedades físicas, biológicas e químicas. Para que o solo seja frutivo e apto para o crescimento de plantas é necessário que ele contenha água, capacidade a qual varia de solo para solo.

O solo argiloso, conhecido também como solo pesado se trata de uma terra que é úmida e macia ao mesmo tempo, tratando-se da composição de elementos como argila, ferro e alumínio. Como os espaços que existem entre os grãos são bem pequenos eles têm uma tendência maior a impermeabilidade.

Entretanto, se o teor do solo de argila for muito alto será possível constatar após várias chuvas eventuais encharcamentos e alagamentos, o que poderá comprometer a aeração e dificultando o desenvolvimento das plantas.

Algumas caraterísticas do solo argiloso:

  • Grãos bastante pequenos e compactos
  • Impermeabilidade diante de líquidos
  • Grande capacidade de reter água
  • Concentra uma grande quantidade de nutrientes
  • Contém pouca acidez
  • Excelente para a atividade agrícola, como o cultivo de alimentos
  • Resiste mais fortemente a eventuais erosões

Terra roxa

Solo argiloso.
(Foto: Reprodução)

Este é um dos principais exemplos de solo argiloso presentes no Brasil, pode ser encontrado nos estados de Santa Catarina, São Paulo, Paraná e em algumas regiões do Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. A prática da agricultura do café é bastante comum nessas regiões pelos benefícios que o solo propicia.

A formação da terra roxa se deu durante milhões de anos é e derivada da decomposição de rochas do modelo arenito-basalto, que tem como característica mais marcante a sua cor vermelho-arroxeada, que é decorrente da presença de diversos minerais, como por exemplo o ferro.

Latossolos argilosos

Latossolos são tipos de solo que se constituem hegemonicamente de material mineral, este por sua vez representa a maior parte geográfica do Brasil em comparação com qualquer outro tipo de solo. Geralmente são solos com uma grande profundidade, velhos, com uma boa frenagem, homogêneo, ácidos e com baixo teor de matérias que são facilmente intemperizáveis.

Atualmente, estes solos têm sido bastante degradados por decorrência do grande fluxo de chuvas, temperaturas extremamente elevadas e erosões que acabam por prejudicar e comprometer a produção das culturas.

Curiosidades

Um fato interessante sobre o solo argiloso é sua característica volátil que o faz ser susceptível a sofrer com as tendências do tempo, pois quando há muita chuva o solo absorve água em demasia e fica encharcado, já no período de seca ele propende a formar uma camada dura que é pouca arejada, dificultando assim o desenvolvimento da vegetação nestes locais.

Diversas civilizações antigas utilizavam da argila como matéria-prima para elaboração e confecção de utensílios domésticos, como por exemplo pratos, vasos, panela e recipientes, assim como hoje é utilizada para elementos e objetos de arte e adorno.