Descubra onde fica a nascente do rio nilo qual é a extensão do rio

O Nilo é um rio que se situa no continente africano, estando a sua nascente ao sul da linha do Equador. É o maior rio de todo o planeta, tendo cerca de 7.088 km em extensão e ocupando uma área de 3.349.000 km².

Ele atravessa diversos países como Uganda, Tanzânia, Ruanda, Quénia, República Democrática do Congo, Burundi, Sudão, Sudão do Sul, Etiópia e Egito. Sua fonte mais remota se situa no “Nyungwe National Park” do Rwanda.

O rio Nilo deve a sua formação pela confluência de três rios: o Nilo Branco, o Nilo Azul e rio Atbara. Antigamente acreditava-se que o Nilo nascia no lago Vitória, entretanto estudos na região comprovaram que o próprio lago tem como origem o rio Kagera, o que torna ele a fonte no Nilo.

O Nilo e o Egito

Rio Nilo.
(Foto: Reprodução)

O Rio Nilo foi fundamental para o povo do Antigo Egito, tal civilização surgiu há 5 mil anos em um deserto do continente africano e  não teria sobrevivido se não fosse a ajuda do maior rio do mundo para suprir suas necessidades.

Durante o período da cheia, entre junho e setembro ele transbordava, fazendo com que o solo fosse fertilizado com matéria orgânica (humus), fenômeno o qual era o mais importante do rio para o país. A pesca também se tornou com o tempo uma atividade bastante presente, pois o mesmo tinha peixes em abundância, servindo desta forma para a comercialização e para o consumo do próprio povo.

De forma indireta, também ajudou o povo a desenvolver sua inteligência, pois os egípcios tinham que medir, calcular e planejar durante os períodos de cheia, movendo a população e construindo diques para proteger a cidade de possíveis catástrofes. Resultando assim no desenvolvimento da matemática e da geometria.

Como na época não haviam muitas estradas, muito menos automóveis, o rio servia para locomoção e transporte de pessoas e cargas, em embarcações dos mais diversos tamanhos.

O Nilo hoje

Hoje o rio ainda é muito importante, pois alimenta a usina hidrelétrica de Aswan, a qual foi construída em 1971 e teve um impacto direto na vida dos agricultores, uma vez que o rio não tem mais períodos de cheias ou vazantes, obrigando tais trabalhadores a adotarem métodos convencionais para o cultivo.

Curiosidade

De acordo com entidades da comunidade científica internacional, o rio Amazonas é o maior de todo o mundo, tendo sua origem nos Andes, no Peru, entretanto essa é uma questão ainda bastante polêmica e o tamanho dos dois rios ainda está em aberto, pois nenhum dos valores informados sobre a extensão foi confirmado e aceito oficialmente.

Veja qual planta era usada pelos egípcios para escrever na antiguidade

Os egípcios são fonte de inspiração literária e cinematográfica até hoje para a indústria cultural. Sua cultura exótica e história marcante na África proporcionou um fascínio muito grande pelo Ocidente por essa antiga civilização que dominava técnicas de construção fascinantes e diversos outros conhecimentos.

Uma das principais características dos antigos egípcios, é o fato deles terem desenvolvido um sistema de escrita pictográfica, ou seja, hieróglifo. Esse sistema, apesar de um tanto complexo e conceitual, permitiu que essa civilização registra-se importantes momentos de sua história, sua cultura e seu dia a dia, facilitando principalmente os estudos sobre ela.

Papel Egípcio

As escrituras egípcias enfeitavam as paredes de tumbas, templos e palácios nas cidades do Nilo. Porém, não só nas paredes eram encontrados esses sistemas de linguagem pictográfico. Também em pergaminhos antigos era possível encontra-los e em boas condições de leitura.

Papiro (Foto: Reprodução)

Esses pergaminhos eram conhecidos como papiros, mesmo nome que se dá a planta da qual se faz essa espécie de papel. Os antigos egípcios aperfeiçoaram técnicas que utilizavam o papiro (planta com aspecto de bambu) para confeccionar um material flexível e tangível com tinta.

Para confeccionar o papel, era retirada a parte branca e esponjosa encontrada dentro do papiro. Essa era então cortada em tiras que eram sobrepostas de forma cruzada e prensadas várias vezes. O resultado, depois de seco, era uma folha relativamente flexível e que se enrolava facilmente.

O papiro foi utilizado para esse fim não só no Egito antigo, como também na Pérsia, Babilônia, na região do oriente médio, na Grécia e em Roma. Essa planta era facilmente encontrada nas margens do Rio Nilo.