Café pode causar diarreia e tonturas

O café tem poder de estimulante, sendo assim, é capaz de nos deixar ligados, não é à toa que vemos muitas pessoas tomando café para manter-se acordado quando desejam realizar algo importante, por exemplo, um trabalho para entregar na manhã seguinte.

Gut, é um jornal que aborda assuntos relacionados a gastrenterologia, e foi no ano de 1990, que o mesmo realizou uma pesquisa sobre o café, por conseguinte, foi constatado que o café provoca mudanças gastrointestinal em algumas pessoas após o seu consumo, provocando diarreia e até mesmo tontura.

No entanto, essa pesquisa não soube dizer os motivos desse fenômeno, mas acredita-se que o café consegue atingir o tecido epitelial, responsável pelo revestimento do estômago e também do intestino delgado.

O café instiga a liberação da gastrina, hormônio produzido no interior do estômago, incumbido de promover o aumento da atividade motora do cólon, ou seja, a porção maior do intestino grosso.

Posto isto, a área do cólon está próxima ao reto, logo, isso explica os efeitos laxantes do café. A cafeína é considerada a principal responsável pelo aumento das contrações do cólon, porém, a pesquisa afirma que até mesmo os cafés descafeinados podem instigar a necessidade de evacuar. Sendo assim, pode ser que outra substância do café ocasione o efeito laxante.

Existem muitos alimentos que provocam diarreia e tonturas, principalmente em pessoas que possuem excesso de gordura. O café e o açúcar, são dois itens que não devem ser consumidos em excesso, pois podem provocar efeitos negativos no organismo.

Acontece que ao ingerir o açúcar, a glicemia do sangue sobe e cai em um nível rápido, fazendo com que o organismo busque outra forma de mecanismo para conservar a glicose cerebral. Já o café, possui cafeína que pode provocar tanto dor de cabeça como tontura, pois a sua ação é vasodilatadora nos vasos sanguíneos do corpo e vasoconstritora dos vasos sanguíneos do cérebro. Tenha em mente que a maioria dos casos de tontura está ligada a alguma disfunção do organismo.

É essencial consumir com moderação o café, porém, veja a seguir, outros alimentos que não devem ser consumidos em excesso, principalmente para evitar diarreias:

• Frituras em geral
• Embutidos
• Álcool
• Itens muito temperados
• Saladas mal lavadas
• Carnes cruas
• Frutos do mar
• Vegetais não cozidos
• Frutas com casca.

Filhote de cachorro com vômito e diarreia com sangue

Diarreias e vômitos são disfunções comuns em cachorros filhotes, essas estão ligadas a patologias diversas como intoxicação alimentar ou virose, também não é raro que esses mesmos distúrbios venham acompanhados de sangue.

O vírus mais agressivo é o parvovírus, que costuma atacar (na maioria das vezes) filhotes, já que ainda estão em fase de desenvolvimento e seu sistema imunológico não está totalmente estabelecido. Existem ocorrências de que vômitos e diarreias com sangue também acometem cães adultos.

Sintomas

O animal nesta situação fica muito debilitado, sem ânimo. A quantidade de água ingerida torna-se cada vez menor, assim como o alimento. Lembrando que a desidratação, se não tratada, pode leva-lo à morte.

Observação: Ainda que ele se recuse a beber água, é preciso mantê-lo hidratado.

Filhote. (Foto: Reprodução)

Quem pode ser acometido pelo problema?

  • Cães adultos;
  • Filhotes (principalmente);
  • Gatos.

Fique atento ao indício da doença. Primeiro, é necessário discernir se é mesmo um vírus ou uma intoxicação alimentar.

Como identificar?

» A intoxicação pode durar alguns dias, onde a diarreia não é acompanhada por sangue.

» O vírus pode durar até várias semanas.

Se suspeita de “parvovirose”, leve imediatamente o seu animal a uma clínica veterinária. Lá ele receberá tratamento adequado. Em casa, no período em que estiver doente é preciso isolá-lo para evitar contato com outros animais impedindo a transmissão. O tratamento pode levar semanas até a recuperação total.

É preciso ficar atento com o grau de desidratação, essa poderá apresentar dificuldades no desenvolvimento da cura. Apesar do problema ser recorrente e bastante comum, existem algumas formas de prevenção como:

  • Mantenha-o em locais limpos;
  • Mantenha-o vacinado;
  • Evite contato com cães de rua;
  • Leve-o sempre ao veterinário para um check-up;
  • Alimente-o apenas com a ração adequada a seu tipo.

Bebê com diarreia mais de uma semana

Bebê com diarreia mais de uma semana

Os primeiros sinais de que algo não vai bem com o seu bebê começa quando ele se nega na hora de comer. Eles apresentam então uma aparência abatida, falta de vontade de se alimentar e geralmente fortes dores de barriga. Consequente a isso, a diarreia.

Nos primeiros anos de vida, é comum que o bebê tenha diarreias frequentes, mas é importante ficar atenta com a quantidade de dias que essa fica presente na criança. Várias são as causas que podem desencadear o problema, geralmente essa é tratada, dentre elas estão:

  • Infecções intestinais;
  • Intolerância a determinados alimentos;
  • Vermes;
  • Bactérias;
  • Vírus;

Há também, os casos de mães em que confirmam que seus filhos tiveram diarreia no momento em que houve o nascer dos dentinhos. Contudo, o que realmente acontece é que as fezes da criança se encontram em aparência mais molinha pela quantidade de saliva produzida pela mesma, mas não chega a ser diarreia.

Bebê (Foto: Reprodução)

Em relação a diarreia, o que mais apavoram os pediatras é a possibilidade do problema ser causado por desidratação. Para identificar, preste atenção em sintomas como:

  • Boca seca;
  • Volume baixo de urina;
  • Choro sem lágrimas;
  • Sonolência;
  • Moleza;

É importante lembrar que nesse período da vida os bebês possuem baixa resistência, a possibilidade de ocorrer desidratação é muito maior. Para evitar, amamente seu filho com muita frequência, sempre que ele pedir o peito. Também dê bastante água.

Além disso, faça uso do soro caseiro. Esse é recomendado até mesmo pelos médicos, você pode pegá-lo em qualquer posto de saúde ou prepará-lo em casa com 1 colher de café de sal e 2 de sopa de açúcar. O do posto chama-se Soro de Reidratação Oral, um pacotinho deve ser misturado a 1 litro de água filtrada e então dado ao bebê diariamente, evite sucos naturais e refrigerantes.

Atenção!

Nenhum tipo de diarreia que dura mais que três dias pode ser normal. Por isso, aos primeiros sintomas, leve-o ao médico imediatamente, mesmo que esteja evacuando normal e sair qualquer porcentagem de sangue. Procure seu pediatra e peça orientações.

Nenhuma das informações dadas através deste artigo pode retirar ou anular as recomendações médicas. 

Como aliviar a disenteria

A disenteria é um tipo de diarreia causada por alguma doença. Uma infecção que acomete o intestino grosso, causando diversas complicações. Dentre elas pode ser citado a diarreia, as dores abdominais, cólicas, febre, mal estar e alguns episódios de vômitos.

Existem dois tipos de disenteria:

  • Disenteria bacteriana – causada por bactérias, sendo que a mais comum é do gênero Shigella. A contaminação se dá através da ingestão de água ou alimentos contaminados.
  • Disenteria amebiana – causada por uma ameba parasita chamada de Entamoeba histolytica. A infecção se dá também através da ingestão de alimentos ou com contato oral com objetos contaminados pelas pequeninas amebas.

O tratamento é realizado por meio da utilização de antibióticos, e/ou através de medicação específica. Quando chega a atingir o fígado, pode ser preciso que seja feito um procedimento cirúrgico.

A prevenção dessa doença pode ser feita através de cuidados com a limpeza do ambiente, o saneamento básico, a higiene pessoal, e principalmente com ter higiene ao tratar dos alimentos e também com a água utilizada.

        

Para diminuir os sintomas, é recomendável a constante ingestão de água, para que não tenha desidratação, ingerir sucos de frutas não laxativas e tomar chás de ervas claras, sem açúcar. Lembrando que se estiver muito avançada a disenteria, é preciso ir diretamente consultar com um médico.

Vômito e Diarreia

O mal estar causado por esses sintomas é constante.

As diversas complicações no corpo humano podem gerar uma infinidade de efeitos visíveis ou não, maléficos a saúde. Dependendo da enfermidade, pessoas diferentes podem apresentar sintomas parecidos, porém em intensidades variadas. Isso se relaciona diretamente com o corpo e o metabolismo que é diferente e todas as pessoas.

O vômito e a diarreia são sintomas muito comuns e conhecidos de inúmeras complicações e enfermidades no corpo humano. As famosas intoxicações alimentares e viroses são as complicações que mais apresentam esses sintomas por serem mais comuns e terem uma gama maior de agentes causadores em todos os cenários (urbano e campo).

Hoje em dia, esses sintomas muitas vezes são vistos como normal, admitindo a imensa variedade de medicamentos, conhecimentos médico científicos, disponibilidade e facilidade de tratamento caseiro, entre outros. Porém, o vômito e a diarreia já mataram inúmeras pessoas na história do homem. São sintomas que se não tratados corretamente, podem levar o indivíduo facilmente ao óbito.

Isso acontece porque ambos os sintomas forçam a perda desregrada e compulsória de nutrientes e água, imensamente necessários a manutenção do organismo e suas funcionalidades. Esse quadro geralmente arrasta o indivíduo a uma sofrida desidratação que se não controlada pode ser fatal. A desidratação pode ser facilmente tratada, mas para parar o vômito e a diarreia o medicamente pode ser específico para cada enfermidade.

O que fazer?

Em geral, nos casos em que esses sintomas persistem, o ideal é fazer com que o indivíduo não pare de se hidratar com água. Bebendo aos poucos e com muita calma, isso o manterá melhor por mais tempo. Caso seja necessário – e com certeza será -, é recomendado que este beba soro caseiro ou soro comprado em farmácias – normalmente vem em pó no sachê.

Procurar um médico é essencial. Ele avaliará e receitará o remédio correto para parar o vômito no caso específico. Geralmente são receitas que devem ser seguidas por 8 dias ou mais. É importante que mesmo que o paciente esteja se sentindo melhor não pare de tomar os medicamentos até o tempo de seu término.

O soro e os medicamentos devem estar aliados a um longo período de descanso total. O indivíduo não poderá se esforçar em qualquer atividade para não aumentar a fadiga e não gastar energia. O tempo de repouso é essencial para a recuperação total do indivíduo. Por isso, é importante pedir o atestado médico para esse caso. Vômito e diarreia podem matar.