Quais são os sintomas da gravidez?

Os primeiros sintomas de uma gravidez são de deveras importância para que a mulher descubra o diagnóstico por meio do exame de sangue ou pelo teste de gravidez de farmácia.

Compreenda que os primeiros sinais de uma gravidez surgem após três semanas da fecundação, no entanto, pode acontecer dos sinais se anteciparem, surgindo até mesmo antes da menstruação atrasar.

Os sinais são diversos, logo, os sinais podem não ser os mesmos para todas as mulheres. Os primeiros sintomas da gestação podem parecer similar aos desconfortos pré-menstruais.

A seguir, você conhecerá os sintomas mais comuns de uma gestação, desde o seu início até o fim. Confira!

Pequeno sangramento vaginal: Quando o óvulo é fecundado por um espermatozoide, o embrião percorre as trompas e se inseri na parede do útero em seis a doze dias, o que poderá ocasionar um pequeno sangramento uterino.

Cólicas ou dor abdominal: No decorrer da gestação o útero sofre alterações constantes, podendo causar desconforto na parte inferior do abdômen, como inchaço na barriga, que acaba estimulando contrações uterinas.

Atraso menstrual: Um dos principais sinais que fazem as mulheres buscarem o diagnóstico de imediato.

Aumento dos seios e dor na mama: Em apenas duas semanas de gestação os seios podem apresentar esses sintomas. Além dos seios ficarem maiores, eles acabam ficando também sensíveis, pois as alterações hormonais provocam a estimulação das glândulas mamárias para a preparação do período de amamentação.

Alteração na aparência dos seios: Os hormônios produzidos durante a gravidez podem alterar a aparência dos seios, como o escurecimento dos mamilos e aparecimento de veias ao redor dos seios.

Náuseas e vômito: Esses sintomas costumam surgir entre a 6ª e a 12ª semana de gestação, no entanto, esses sintomas podem se antecipar.

Prisão de ventre: O aumento da progesterona faz com que alguns órgãos e tecidos fiquem relaxados, incluindo o intestino, que acaba diminuindo a sua capacidade de contrair, dificultando o transito intestinal.

Inchaço abdominal: A expansão do útero começa desde que o feto ainda é muito pequeno, pois o corpo está se preparando para suportar o crescimento uterino.

Cansaço e sono excessivo: A fadiga e o sono poderão surgir com apenas uma semana de gestação, logo, o corpo começa a dar sinais de que precisa descansar mais, devido as alterações hormonais, como a progesterona que age diretamente no sistema nervoso central e nos sistemas respiratórios e cardiovascular.

Vontade frequente de urinar: A partir das seis semanas de gestação, torna-se um hábito comum a vontade frequente de urinar, principalmente durante a madrugada. Acontece que o relaxamento provocado pelos hormônios, aumenta a vontade de urinar, pois é reduzido a capacidade da bexiga de se esvaziar completamente.

Desejos alimentares: Natural a mulher apresentar desejos alimentares desde o início da gravidez, no entanto, pode acontecer também da grávida enjoar de certos alimentos.

Espinhas e pele oleosa: Devido as alterações hormonais, pode ocorrer desde as primeiras semanas da gestação até a última semana, o aumento ou o aparecimento de espinhas, conhecido também como acne, além de aumentar a oleosidade da pele. Recomenda-se o uso de produtos de limpeza e de higiene da pele para reduzir a acne e a oleosidade.

Variações de humor: É nas duas primeiras semanas da gravidez que a mulher tende a ficar mais sensível diante as suas emoções. Ela pode rir e chorar num intervalo pequeno, assim como também pode ficar de mau humor por situações banais. A variação de humor é comum, podendo durar por toda a gestação. Por estar emotiva, a gestante pode chorar até mesmo vendo um comercial de TV e rir de situações que antes não sorriria.

Corrimento vaginal rosa: O corrimento vaginal é algo natural que acontece com a mulher, pois é o excesso de muco vaginal, porém esse corrimento vem num tom meio rosa, porque quando o óvulo é fecundado se mistura com o sangue, que é ocasionado pela chegada do espermatozoide no óvulo, que assim, chegará até o útero.

Dor nas costas: É mais para o final da gestação que a mulher passa a carregar excesso de peso, por conta da sua barriga, porém pode ser que ocorra dores nas costas antes mesmo da barriga tornar-se muito pesada. Acontece que a progesterona provoca na musculatura e em outros ligamentos do corpo, um certo relaxamento, principalmente nas costas e no abdômen, logo, causa dores e desconforto para a gestante, que acaba alterando a sua postura.

Tonturas: Os hormônios ocasionam diversas alterações no organismo durante a gestação e uma dessas alterações é a tontura ao ocorrer a queda da pressão arterial, redução dos níveis de açúcar no sangue, anemia, aumento da frequência respiratória e alimentação insuficiente devido aos enjoos.

IMPORTANTE

• Caso tenha descoberto a gravidez através do exame de farmácia, é essencial fazer um teste de sangue, não só para confirmar novamente a gestação, mas também para iniciar o tratamento adequado, é aconselhável consultar o ginecologista ou um obstetra.
• Importante que toda gestante durma de lado, principalmente nos últimos meses de gestação, pois ao dormir de barriga para cima, pode ocasionar a diminuição do sangue que chega ao coração, pois dormir de barriga para cima pode comprimir a veia cava.
• Não se assuste toda vez que a sua menstruação atrasar, principalmente se você não deseja no momento uma gravidez, pois o atraso da menstruação pode ser ocasionada por vários fatores, por exemplo, infecções, cansaço e estresse.

Sintomas de insolação em bebês

Os bebês são bem mais vulneráveis às queimaduras solares do que os adultos, pois a sua pele, além de fina é muito sensível. Sendo assim, não é incomum ocorrer insolação em crianças e bebês durante um dia de sol.

Um dia no clube ou na praia, poderá deixar de ser um dia agradável, caso os pais não protejam os seus filhos de forma adequada ao sol. Pois, um bebê com insolação traz muitas gravidades.

Posto isto, quando um corpo é excessivamente exposto ao sol, acaba perdendo o líquido e o sal contidos no suor, causando uma insolação diante a falta de proteção e hidratação da pele adequada.

Compreenda que a exposição do corpo aos raios solares, causam queimaduras e desidratação, pois as células são destruídas e o líquido é totalmente eliminado. Logo, veja a seguir, os sintomas de uma insolação em bebês.

Sintomas:

• Pele quente e avermelhada
• Tontura
• Dor de cabeça
• Pulso forte e rápido
• Sede intensa
• Falta de ar

Sintomas mais graves

• Aumento da temperatura corporal
• Mal-estar
• Vertigem
• Vômito

Prevenção

• Uso do filtro solar e o FPS (fator de proteção solar) acima de 30.
• Aplicar o protetor de 15 em 15 minutos
• Beber muita água
• Ficar longe do sol entre 10 horas e 16 horas
• Uso de bonés e chapeis

Tratamento

• Manter o bebê com mais de seis meses hidrato com líquido, como água. Já os bebês menores de seis meses, manter a hidratação com o leite materno.

• Colocar nas áreas queimadas da pele do bebê uma fralda de pano ou uma gaze em água fresca para amenizar a dor da queimadura. Coloque entre dez a quinze minutos, ressaltando que o uso de água gelada e gelo na pele dos bebês, não é recomendado.

• Para amenizar o incomodo da dor, adicionar maisena ou uma colher de carboidrato na água do bebê.

• Não aplique produtos em seu bebê que contenham a substância benzocaína, pois podem irritar ou dar alergia na pele do bebê.

• A dica é o uso de hidratantes apropriados para bebês, que aliviam a coceira, principalmente quando a pele começa a descascar. Evitar substâncias com cânfora em crianças com menos de dois anos, porém a substância calamina é indicada.

• Ficar em um lugar fresco e ventilado com o bebê

• Dar banho com água fresca com maior frequência

• Fazer atividades mais relaxadas com as crianças

Mesmo com os riscos de insolação, é essencial para a saúde da pele do bebê tomar banho de sol, porém é necessário saber os horários certos e as precauções para não prejudicar a pele do bebê.

Entenda que tomar sol ativa a produção de vitamina D do organismo, colaborando para a absorção de cálcio pelos ossos, dificultando o raquitismo. No entanto, o sol para os bebês tem que ser entre dez a quinze minutos, nos horários propícios.

Alguns bebês nascem com icterícia, aumentando a necessidade de tomarem banho de sol, dado ao excesso da substância bilirrubina, responsável por provocar uma coloração amarela na pele e olhos.

Logo, o banho de sol ajudará a combater kernicterus, que é a lesão do sistema central por impregnação da biliburrina.

Procurar um posto de saúde quando o bebê está com insolação é essencial, principalmente quando ocorrem bolhas nas queimaduras do bebê. Caso tenha líquido dentro das bolhas, não estoure e nem coloque curativos, pois poderá provocar uma infecção.

Alguns estudos indicam que a insolação em bebês, aumenta o risco de melanoma na fase adulta, que é a forma mais intensa de câncer de pele, dado que a exposição aos raios ultra violetas, amplifica os riscos ao câncer de pele.

Mesmo nos dias nublados, a pele está exposta aos raios ultravioletas. Por isso é necessário tomar as mesmas precauções de um dia ensolarado, pois o nível da radiação de um dia nublado, poderá chegar a 70%, causando danos à pele ao enganar as pessoas que acham que estão protegidas.

Importante

• O organismo infantil possui um grande potencial de água e quantidade de líquido entre as células, que ajuda a ocasionar a desidratação mais rápido nos bebês.
• Os melhores horários para o corpo ficar exposto ao sol é pela manhã ou no final da tarde.
• É necessário aplicar o protetor bem antes da exposição ao sol e principalmente prestar atenção quando a criança brinca por muito tempo na água.
• É primordial manter a criança hidratada, ou seja, é preciso ingerir muita água.
• Existem roupas que são apropriadas para a proteção solar, porém uma roupa clara também protege.
• Descascar a pele faz parte do processo de cura, porém o bebê precisa usar roupas confortáveis, como as de algodão.

Sintomas das primeiras semanas de gravidez

Nem toda mulher consegue notar os primeiros sintomas de uma gravidez, por diversos motivos, os primeiros sintomas de uma gravidez é muito parecido com os sintomas de quando a menstruação vai descer.

Além disso, algumas não esperam estar grávidas, no entanto, algumas mulheres estão na expectativa de ter um bebê, sendo assim, conseguem perceber os primeiros sintomas de uma gravidez.

De qualquer forma, os primeiros sintomas de uma gravidez é um sinal para que a mulher procure métodos eficientes para confirmar a gravidez, seja pelo teste de gravidez comprados na farmácia ou por exame de sangue, sendo que esse último é o mais correto.

Quanto mais cedo souber o resultado, melhor será para a mulher e o seu bebê, pois além de adiantar o pré-natal, que é muito importante. A mulher passará a ter cuidados essenciais para a saúde do bebê, como:

• Parar de ingerir álcool ou drogas
• Controlar a glicose do sangue
• Iniciar dietas saudáveis
• Observar a pressão arterial

Geralmente, os primeiros sintomas da gestação só aparecem após três semanas da fecundação. Entretanto, é possível que a mulher manifeste os primeiros sintomas da gestação antes mesmo da menstruação atrasar.

Aversão a cheiros fortes

É no início da gestação que a mulher passa a ter aversão a cheiros fortes, pois o olfato passa a ter mais sensibilidade diante alguns cheiros, por exemplo, o perfume, por mais agradável que pareça o cheiro, pode ocasionar enjoo na gestante.

Assim, como outros cheiros fortes, podem fazer com que a gestante chegue a vomitar, o cheiro de gasolina, produtos de limpeza e até mesmo o cheiro de comidas podem provocar enjoos intensos na mulher grávida.

Mamas sensíveis e inchadas

É nas duas primeiras semanas da gestação, que os seios da mulher passam a ficar mais sensíveis e inchados, graças aos hormônios que estimulam as glândulas mamárias, na intenção de preparar os seios para a amamentação.

Espinhas e pele oleosa

Devido as alterações hormonais, pode ocorrer desde as primeiras semanas da gestação até a última semana, o aumento ou o aparecimento de espinhas, conhecido também como acne, além de aumentar a oleosidade da pele. Recomenda-se o uso de produtos de limpeza e de higiene da pele para reduzir a acne e a oleosidade.

Cansaço e sono

É nas duas primeiras semanas da gestação que surge o cansaço e o sono excessivo. A disposição para a rotina do dia a dia, torna-se outra, a fadiga transforma-se em algo comum para a rotina da mulher grávida.

O cansaço e o sono anormal, surgem por causa das alterações hormonais e consequentemente também pela queda da quantidade de açúcar no sangue. Compreenda que a progesterona atua sem desvios ao sistema nervoso central e nos sistemas respiratórios e cardiovasculares.

Variações de humor

É nas duas primeiras semanas da gravidez que a mulher tende a ficar mais sensível diante as suas emoções. Ela pode rir e chorar num intervalo pequeno, assim como também pode ficar de mau humor por situações banais.

A variação de humor é comum, podendo durar por toda a gestação. Por estar emotiva, a gestante pode chorar até mesmo vendo um comercial de TV e rir de situações que antes não sorriria.

Corrimento vaginal cor-de-rosa

O corrimento vaginal é algo natural que acontece com a mulher, pois é o excesso de muco vaginal, porém esse corrimento vem num tom meio rosa, porque quando o óvulo é fecundado se mistura com o sangue, que é ocasionado pela chegada do espermatozoide no óvulo, que assim, chegará até o útero.

Cólica e inchaço abdominal

A cólica e o inchaço abdominal, ocorrem porque assim que o óvulo é fecundado, ocorre a multiplicação do fluxo sanguíneo na região pélvica. Sendo assim, para que a gravidez continue em proteção, os hormônios agem em prol do embrião, causando também o crescimento uterino, responsável pelo inchaço do abdômen.

Pode ser que ocorra um leve sangramento, parecido com a menstruação, mas para não confundir com uma menstruação normal, basta reparar que a quantidade é bem menor. Contrações uterinas acontecem ao decorrer da gestação, pois além de estarem se preparando para o bebê, é uma forma também do útero se preparar para a chegada do parto.

Aumento da frequência urinária

É praticamente na sexta semana da gestação, que a mulher começa a sentir necessidade de urinar num prazo curto de tempo. Essa vontade de ir ao banheiro frequentemente pode acontecer, principalmente de madrugada, logo, é um fator que atrapalha o sono de muitas grávidas.

Isso acontece por conta do aumento da progesterona. A medida que o feto cresce, ele vai comprimindo a bexiga. Os hormônios acabam relaxando a bexiga, logo a bexiga perde a sua eficiência em esvaziar totalmente, provocando a necessidade imediata de urinar.

Tontura, enjoos, vômitos e dor de cabeça

Após a sexta semana da gestação, torna-se comum a mulher sentir tonturas, enjoos, vômitos e dor de cabeça durante a gestação. Esse enjoo é o que provoca o vômito, normalmente esses enjoos tendem a acontecer pela manhã.

Tonturas, enjoos, vômitos e dor de cabeça, ocorrem por conta dos hormônios, junto a redução da glicose no sangue, que provocam variadas alterações no organismo da gestante, podendo causar também outras reações ruins, como a queda da pressão arterial.

Prisão de ventre 

A prisão de ventre é um fator que não ocorre com todas as gestantes, porém vale ressaltar que pela produção excessiva de hormônios, ocasionam o relaxamento de órgãos e tecidos do corpo.

Sendo assim, o intestino é um dos órgãos que sofrem com essa mudança do organismo, logo diminuem a sua eficiência em contrair, dificultando o intestino a agir normalmente, causando a prisão de ventre.

Desejos alimentares e alterações do paladar 

Comum vermos mulheres grávidas sentirem desejo por certas comidas. Alguns desejos são por alimentos normais, outros desejos já são um pouco estranho, tratando-se do paladar.

Porém, pode também ocorrer uma modificação no paladar da gestante, alguns gostos simplesmente se transformam, por exemplo, aquela comida que antes era a preferida da gestante, pode passar a ter um gosto azedo para o seu paladar.

Dor nas costas

É mais para o final da gestação que a mulher passa a carregar excesso de peso, por conta da sua barriga, porém pode ser que ocorra dores nas costas antes mesmo da barriga tornar-se muito pesada.

Acontece que a progesterona provoca na musculatura e em outros ligamentos do corpo, um certo relaxamento, principalmente nas costas e no abdômen, logo causa dores e desconforto para a gestante, que acaba alterando a sua postura.

Importante

• Caso tenha descoberto a gravidez através do exame de farmácia, é essencial fazer um teste de sangue, não só para confirmar novamente a gestação, mas também para iniciar o tratamento adequado, é aconselhável consultar o ginecologista ou um obstetra.
• Importante que toda gestante durma de lado, principalmente nos últimos meses de gestação, pois ao dormir de barriga para cima, pode ocasionar a diminuição do sangue que chega ao coração, pois dormir de barriga para cima pode comprimir a veia cava.
• Não se assuste toda vez que a sua menstruação atrasar, principalmente se você não deseja no momento uma gravidez, pois o atraso da menstruação pode ser ocasionada por vário fatores, por exemplo, infecções, cansaço e estresse.

Engravidar amamentando seca o leite?

Nos primeiros seis meses da gestação, é quase impossível que a mãe ao amamentar o seu bebê, engravide. O motivo é que nesses seis meses, o único alimento do bebê é o leite, logo, ele não se alimenta de outra coisa.

A mãe que amamenta exclusivamente, sem incluir outros alimentos, como o leite em pó, poderá atrasar a sua menstruação em até um ano. Sendo assim, a amamentação poderá impedir os hormônios que provocam a ovulação.

Após o parto, a mulher continua perdendo sangue vaginal, sendo que uma hora esse sangue cessará. Porém, a menstruação só voltará uns seis meses depois. Por ocorrer esse descontrole hormonal, a mulher poderá ovular e assim, engravidar, caso tenha mantido relações sexuais sem camisinha.

Compreenda que mesmo não menstruando, logo depois de ter dado a luz ao bebê, a mulher pode dispensar o seu primeiro óvulo. Logo, não dá para saber se ocorreu a ovulação duas semanas ou menos, da menstruação descer.

A amamentação é usada por muitas mulheres como uma técnica de anticoncepcional. No entanto, é um método arriscado, pois com a ovulação do pós-parto, mesmo não menstruando, poderá gerar uma gravidez inesperada.

E é possível que uma gravidez surpreenda a mamãe que ainda está alimentando o seu bebê, e é aí que vem a dúvida quanto a amamentação. Por isso é importante deixar claro que não é preciso interromper a amamentação do bebê.

Com a chegada de um bebê, os hormônios passam a agir em prol ao desenvolvimento do feto, que é a causa de diminuir a produção do leite, nada mais que isso.

Não é motivo para preocupações, pois geralmente quem engravida, já está numa fase em que o bebê não está somente a mercê do leite materno, mas também de outros nutrientes importantes para a sua saúde.

Pode ser que o leite passe a ter um sabor diferente, fazendo com que o bebê não queira mais mamar. Porém, as mamães não devem ficar tristes com isso, pois são os hormônios agindo a favor da gestação.

Cólicas são sintomas que podem ocorrer, enquanto a mulher amamenta. Essa cólica acontece por causa das contrações uterinas, que são sentidas como uma pressão ou endurecimento do útero. Não chega a fazer mal ao bebê, porém é preciso relatar isso ao médico.

Ocorrem alguns casos, em que a gravidez possui indícios de que possivelmente ocorrerá um parto prematuro, logo poderá ser recomendado pelo médico que a mulher pare de amamentar.

Algumas mães continuam a amamentar o seu bebê durante a gestação, por acharem que podem prejudicar o desenvolvimento do bebê que já está a amamentar.

Com isso, muitas dessas mães ficam com medo de depois não possuírem leite suficiente para amamentar o seu outro bebê. No entanto, é possível que uma mulher amamente durante a gestação e depois, até mesmo os seus dois bebês.

O certo e o mais saudável para o bebê é que ele amamente até os dois anos de idade. Sendo assim, uma mãe que engravida, quando ainda está amamentando, precisa ter cuidados também para si, principalmente pelo desgaste que amamentar poderá causar.

Importante:

• Quanto menor a frequência de mamadas do bebê, mais rápido a mulher ficará fértil.
• 2% são as chances de que uma mulher engravide enquanto amamenta frequentemente o seu bebê.
• É aconselhável utilizar métodos contraceptivos para as mulheres que passam a ter relações sexuais após o parto.
• As pílulas de anticoncepcionais comuns não servem como método para as mãe que estão amamentando, existem pílulas próprias para quem amamenta.
• A camisinha é o método mais indicado para as mães que iniciam relações sexuais após o parto, pois evitam que o bebê tenha contato com esses químicos através do leite materno.

 

Gravidez: Como saber se é menino ou menina?

Quase todas as mamães tem o dom de prever o sexo dos bebês, mesmo quando ainda esses nem possuem período de vida suficiente para tal descoberta. Algumas usam métodos antigos e caseiros para “adivinhar”.

Pois bem, segundo os antigos, há um método que permite discernir se é menino ou menina, lembrando que tal percepção só pode ser realizada a partir do quinto mês de gestação. Os antigos dizem que se a barrigada da mulher estiver pontuda, na região do umbigo, isso significa que é um menino, do contrário trata-se de uma menina.

Dentre todas as formas (adivinhatórias) utilizadas, a mais confiável (90% de confiabilidade) é a tabela chinesa. Seu método consiste na combinação lunar da mãe e o mês em que ocorreu a fecundação da criança.

Como funciona?

O primeiro passo é ir atrás de informações que componham sua idade lunar, logo após insira a idade que engravidou + um (isso se não estiver nascido entre os meses de janeiro e fevereiro).

Exemplo 01

Uma mulher que nasceu dia 10/07/1985 está a completar 30 anos. Caso engravide, sua idade lunar será 31. Contudo, existem casos de mulheres nascidas em janeiro ou fevereiro, que nesse específico período não é adicionado o +1.

Tabela chinesa. Créditos de imagem: http://oinene.blogspot.com.br/

Na tabela, os quadros azuis representam os meninos e os rosas, as meninas. Também é interessante considerar quando a mãe nasceu, principalmente se ela foi prematura, logo o cálculo obtido será feito entre a idade lunar e o possível dia do nascimento.

Exemplo 02

Uma mãe nascida de oito meses entre os respectivos meses de janeiro e fevereiro deverá somar +1, com ressalva de que nos casos dos gêmeos a tabela poderá não orientar a data exata.

Ainda que a maioria dos chineses acreditem fielmente em sua tabela, ela não é totalmente confiável. O melhor método é descobrir o sexo através da ultrassom, precisamente durante a realização do pré natal.

Outro exame específico denominado sexagem fetal é possível ser realizado por qualquer grávida e orienta perfeitamente o sexo do pequeno. Esse é feito por meio do sangue, leva principalmente em consideração quantias hormonais que correm pela corrente sanguínea da mãe.