Tipos de dor de cabeça

Não é nada incomum ver pessoas reclamando de dores de cabeça diariamente, por isso é preciso descobrir o que está instigando essas dores de cabeça, pois a dor pode estar na pele, músculos, veias, dentes e terminações nervosas da cabeça.

É necessário realizar o diagnóstico para descobrir a causa, pois até mesmo as células cerebrais podem ser indícios de uma dor de cabeça mais séria, logo é preciso de urgência para um tratamento adequado.

Geralmente, pessoas com dor de cabeça sentem pontadas intensas numa determinada área. Por sentirem a cabeça latejando, o remédio mais usado por elas é o analgésico, mas dependendo do caso, não é a solução.

Não é a solução, pois, dores de cabeça que incluem sintomas de náusea, por exemplo, é indício de um problema mais sério e para descobrir a causa é de extrema importância passar por uma avaliação médica.

A seguir, falaremos dos tipos de dores de cabeça mais comum:

Dor de cabeça tensão: Essa dor de cabeça acontece bastante, pois ela é indício de estresse. Caso tenha sentido uma dor difusa, localizada em cima da cabeça, especificamente na testa, pode ser que a sua dor de cabeça seja de tensão. Frequentemente, essa dor é gerada por qualquer motivo que tenha causado estresse, como insônia, noites mal dormidas e até mesmo por uma discussão iniciada no ambiente de trabalho.

Cefaleia: Não se sabe ainda o motivo exato que sucede essa dor de cabeça, porém é necessário evitar álcool e cigarro, que podem ser os causadores ou podem influenciar no agravamento da dor. A mudança de clima também pode ser um dos responsáveis por essa dor de cabeça, localizada apenas de um lado da cabeça, atingindo também a região dos olhos, que ficam sensíveis à luz, podendo lacrimejar. Geralmente, essa dor de cabeça ocorre em torno de vinte minutos a uma hora, podendo desaparecer, mas voltando no dia seguinte.

Enxaqueca: Dor localizada na região das têmporas, podendo ser um dos dois lados. A maioria das pessoas que possuem enxaqueca tem problemas de vista, logo os olhos ficam sensíveis à luz. O barulho é outro item que incomoda bastante quem sofre de enxaqueca. A enxaqueca pode durar horas, podendo se estender a dias. Sendo assim, é necessário tratar a enxaqueca com medicamentos prescritos por médicos.

Sinusite: É ocasionada pela inflamação dos seios da face, ou seja, sinusite aguda. Dor na maça do rosto ou abaixo dos olhos é causada pela sinusite do seio maxilar. Já a dor localizada na testa, unilateral ou dos dois lados é causada pela sinusite frontal. Sinusites do seio etmoidal e esfenoidal podem estender a dor para toda a cabeça.

Alimentos: Existem alimentos que ajudam a aumentar a dor de cabeça, principalmente em pessoas que possuem gordura em excesso. O açúcar e o café, são dois itens que devem ser evitados por pessoas que sentem muita dor de cabeça. Acontece que ao ingerir o açúcar, a glicemia do sangue sobe e cai em um nível rápido, fazendo com que o organismo busque outra forma de mecanismo para conservar a glicose cerebral. Já o café, possui cafeína que provoca o aumento da dor de cabeça, pois sua ação é vasodilatadora nos vasos sanguíneos do corpo e vasoconstritora dos vasos sanguíneos do cérebro.

Importante

• A ressaca também influencia na dor de cabeça, pois o auto consumo de álcool, gera a desidratação, pois cai o nível de açúcar do corpo, ocorrendo também a dilatação das veias da cabeça. Logo, é necessário beber muita água, porém a dor de cabeça pode durar por muitas horas.
• Já foi constatado que pessoas que ingerem muitos remédios para dor de cabeça acabam sendo reféns de uma dor de cabeça frequente, pois o cérebro se torna refém de remédios como aspirina, ibuprofeno e paracetamol. É necessário buscar um tratamento adequado, antes que o uso desses remédios se torne em vício.
• Existe a enxaqueca abdominal, geralmente passada de pais que sofrem de dor de cabeça para os filhos. Porém, a criança sente a dor no estômago no lugar da cabeça. Essa dor vem acompanhada de vômitos, incluindo a falta de apetite, podendo durar por muitas horas, estendendo-se a dias.
• Aromas, como de perfumes, podem causar fortes dores de cabeça, principalmente quando o aroma é muito forte. A dor é causada, porque o aroma desencadeia as células nervosas do nariz.

Atenção:

• Preste sempre atenção nas dores de cabeça que surgem do nada, principalmente quando ela vem muito forte. Pois, não cuidando dessas dores de cabeça repentinas poderá ocorrer a ruptura ou distensão de um aneurisma cerebral, ou seja, a dilatação de alguma artéria.
• Preste sempre atenção, se a dor de cabeça vem acompanhada de dores musculares, modificação na sensibilidade, principalmente se ocorrer confusão mental. Veja se há alteração na visão e dificuldade para falar ou andar, pois a dor de cabeça poderá estar associada a sintomas neurológicos, logo, precisará de socorro médico.
• Atenção para as dores conduzidas por dores no corpo, que ocasionam febre, náusea, manchas e até mesmo calafrios. Pois, poderá ser casos graves, como meningite e sinusite.
• Atenção com as pessoas idosas, gestantes e crianças que sofrem de dor de cabeça. Esses casos são especiais, pois há uma certa fragilidade por trás da dor de cabeça, que poderá ocasionar problemas mais sérios.
• Atenção para as dores de cabeça que ocorrem diariamente, pois não é normal sentir dor de cabeça todos os dias. Essas dores podem estar associadas a problemas graves no crânio, por exemplo, tumores e trombose venenosa.

Tontura, enjoo e vômito

Muitas coisas passam pela cabeça quando sintomas como tontura, enjoo e vômito ocorrem. Mas nem sempre é fácil descobrir a causa desses sintomas nada agradáveis. Geralmente, esses sintomas estão associados a:

• Gestação
• Labirintite
• Virose ou intoxicação alimentar

É importante entender que esses sintomas são sinais de que algo não está indo bem no organismo, por exemplo, quem sofre de labirintite tem mais tendência a ter enjoos.

Sabendo-se disso, tontura, enjoo e vômito, podem referir a problemas sérios de estômago e intestino, incluindo o sistema neurológico. Logo, percebe-se a necessidade de procurar um médico e não simplesmente de achar que é apenas um mal-estar.

A tontura dá sensação de fraqueza, parece que tudo está girando, muitas vezes causa queda, diante a perda de sentidos e equilíbrio. Veja a seguir, o que pode causar tontura:

• A pressão arterial pode estar alta ou baixa
• Anemia
• Desidratação
• Problemas cerebrais

O enjoo e o vômito, ocorrem quando a pessoa expeli conteúdo do estomago pela boca. Veja a seguir, possíveis causas para enjoo e vômito:

• Doenças gastrointestinal, como intoxicação alimentar
• Gripe

Curiosidade:

• Para tratar tonturas é indicado substância que contenha dimenidrinato (anti-histamínico com influência de anticolinérgica central), pois ajuda a regulamentar o sistema incumbido de equilibrar o vômito.

Veja a seguir, situações diversas que podem ocasionar tontura, enjoo e vômito:

• Gravidez: é no primeiro trimestre da gravidez que ocorre os primeiros enjoos e vômitos da mulher, principalmente por influência das alterações hormonais.
• Labirintite: Essa doença provoca tontura, enjoo e vômito, pois é uma inflamação e infecção da orelha interna, que provoca o desequilíbrio.
• Medicamentos: Alguns medicamentos podem ocasionar tontura, enjoo e vômito, tanto pela formula ou por levantar rapidamente, após ter tomado o remédio.
• Insuficiência cardíaca é outro causador de tonturas e perda do equilíbrio. Assim, como a anemia e problemas de circulação, que também provocam fraqueza e tontura.
• O consumo anormal de bebidas alcoólicas, assim como doses excessivas de cafeínas (refrigerantes, café, chocolate), podem ocasionar tontura, enjoo e vômito.
• A pressão arterial pode ficar baixa e causar fobia em temperaturas, como da praia, chuveiro e sauna. Além disso, existe o agorafobia, que são pessoas que possuem medo de lugares com muitas pessoas, podendo ter tontura, enjoo e vômito.
• Diabéticos que possuem muito ou pouco açúcar no sangue, estão propensos a sentir esses sintomas.
• Inalar monóxido de carbono, causam esses sintomas. Da mesma forma acontece a pessoas que não fumam e resolvem fumar, duas tragadas é o suficiente para que ocorra tontura, enjoo e vômito.

Veja a seguir, dicas que ajudam a melhorar tonturas, enjoos e vômitos:

• Respire fundo, pois ajudará o cérebro a receber o oxigênio essencial que reduzirá a tontura.
• Beba bastante água, pois o vômito poderá o deixar desidratado.
• Coma algo rico em carboidrato ou açúcar, pois a tontura pode ser causada pela taxa baixa de açúcar no sangue.
• Gengibre é uma ótima opção, pois diminui a tontura, ajudando o fluxo sanguíneo para o cérebro e outras partes do corpo.
• Limão, a sua vitamina C ajuda o sistema imunológico, combatendo as tonturas
• Amla, conhecida também como groselha indiana, é rico em vitamina A e C, que ajuda a imunidade, a circulação sanguínea e evita tonturas.
• Mel ajuda a evitar tonturas e a baixar o açúcar do sangue.
• Erva ginkgo biloba e erva matricária, evitam tonturas vômitos, pois melhoram o fluxo sanguíneo para o cérebro.
• Faça uma dieta saudável, que seja rico em ferro, em vitaminas C e ricos em ácidos fólico, pois ajudam a manter a saúde do corpo, logo evitará tonturas e vômitos.

Veja a seguir, dicas que ajudam após sentir tonturas, enjoos e vômitos:

• Sente ou deite em algum lugar assim que sentir esses sintomas.
• Concentre em algum objeto assim que sentir tontura, isso ajudará a manter o equilíbrio.
• Descanse o corpo e a mente sempre que sentir esses sintomas, dê uma pausa na rotina e foque na saúde.
• Não levante de repente quando sentir esses sintomas, pois piorará.
• Não dirija caso sinta esses sintomas
• Não ingira cafeína, álcool e tabaco, pois deixará a situação pior.

Dores lombares pela manhã

A dor lombar é uma reclamação que diversos pacientes dos consultórios ortopédicos costumam fazer, é conhecida também como lombalgia, uma vez que o incômodo e a dor acontecem na parte inferior da coluna vertebral nomeada coluna lombar.

Pesquisas estimam que de cada quatro adultos cerca de três deles terão em algum momento de suas vida dor nas costas, é possível que tal número até seja maior devido a aumento da expectativa de vida e, consequente, o aumento no número de idosos.

Boa parte da população mundial hoje costuma conviver com a dor lombar e os motivos são os mais diversos, resultam de posturas erradas ao longo do dia, sedentarismo, posições incorretas ao trabalhar, ao realizar atividades domésticas entre diversos outros exercícios que são executados de forma errônea.

Fatores de risco

  • Tipo de trabalho

Levantar ou carregar objetos que sejam pesados em demasia.

Postura erradas por muito tempo, estando sentado ou em pé.

  • Condicionamento físico e saúde

Despreparo físico e sedentarismo.

Peso concentrado na região da barriga.

Escorregões e queda que geram distensões.

Desvios dos eixos da coluna.

Fraturas anteriores na região.

Tossir frequentemente (tabagismo).

  • Personalidade e estado do sujeito

Estresse psicológico resultado de tensões.

Insatisfação dentro do trabalho.

Problemas financeiros ou familiares.

Problemas psiquiátricos.

Envolvimento com drogas.

  • Genética

Alguns estudos e pesquisas científicas demonstraram que em pessoas de um mesmo grupo familiar era possível encontrar com alguma frequência casos de lombalgia, hérnia de disco e dores ciáticas. Assim, acredita-se que o fator genético também pode ser responsável por certa quantidade dos casos de dor nas costas.

Tratamento

Existem várias foram que o paciente pode estar utilizando para acabar com a dor lombar por conta própria, entretanto nenhuma delas se compara ao acompanhamento e orientações que são possíveis obter com a consulta com um médico que tenha especialidade em dor lombar.

Procurar um médico também é recomendável antes da dor evoluir de grau, pois ela será eliminada mais rapidamente se estiver em um estágio inicial. O primeiro passo será portanto identificar qual a origem da dor, para posteriormente escolher qual o melhor tratamento.

Medicamentos

Para tratar as dores na região lombar podem ser utilizados relaxantes musculares, que diminuem a tensão e os espamos musculares, analgésicos, para aliviar a dor presente no local e anti-inflamatórios, para reduzir a congestão venosa e, consequentemente, evitar a inflamação do local.

Repouso

A indicação é que não se adie de forma alguma um tempo separado para repousar em posições especiais, o qual deve durar de 48 a 72 horas após o diagnóstico sobre o origem da dor. Os exercícios que o médico recomendar devem ser feitos imediatamente após a constatação de uma crise, sempre acompanhado de alguém que faça supervisão.

Coletes

Quando a dor é de caráter agudo ou crônico a receita é que o  paciente utilize coletes elásticos próprios para imobilização do local afetado na coluna. Geralmente estes coletes costumam abranger a parte inferior da coluna em cerca de 15 a 20 centímetros de distância da cintura.

Os coletes devem ser usados durante o dia, onde há maior movimentação do corpo, e retirados durante o período da noite para que o paciente possa descansar o corpo em posições especiais.

Dores nos pés e pernas inchadas

Muitas pessoas apresentam dores nos pés e nas pernas que ocorrem em diversos tipos de graus: leve, moderado ou intenso. Em muitos destes casos as dores são acompanhadas de inchaços, sendo isso um sinal de má circulação sanguínea.

Nossas pernas e pés são constituídos por ossos, nervos, músculos e vasos sanguíneos, em cada um deles há uma função específica, quando essas não trabalham uniformemente podem gerar desconfortos como dores constantes.

Uma das causas principais é ficar por longos períodos do dia em pé, suportando todo o peso do corpo. Os pés começam a responder esses excessos trazendo então o que chamamos de inchaço.

Outro agente provocador das dores é o “esporão de galo“, conhecido pelos médicos como fascite muscular, uma inflamação decorrente do tecido do músculo da sola do pé, causado pelo estresse excessivo da região.

Exercício físico.
(Foto: Reprodução)

Já o inchaço pode estar atrelado há uma série de problemas, influenciados principalmente pela temperatura do ambiente. Dias quentes são propensos ao inchaço das pernas, nesse caso o mais recomendado é fazer a hidratação adequada do corpo e manter suas pernas em repouso por pelo menos 2 horas.

Os que mais sofrem com isso são os idosos e as gestantes, principalmente aquelas que estão próximas do dia do parto.

Além disso, os inchaços também podem ser um sinal de trombose. A alteração hormonal ocorrente acomete principalmente mulheres no período da menopausa ou menstruação.

Aquelas que fazem uso do anticoncepcional a base de estrógeno estão suscetíveis também, o inchaço nesses casos sinaliza que algo não vai bem com o funcionamento do organismo. Podendo ocorrer desses sinais estarem diretamente ligados às varizes (veias que não permitem o sangue voltar à perna), assim a retenção resulta no inchaço.

Evite:

  • Pernas paradas por muito tempo;
  • Fazer viagens longas;
  • Não praticar exercícios físicos;
  • Ter uma alimentação desregrada.

Pessoas que possuem insuficiência cardíaca sofrem constantemente com o inchaço, o coração não consegue bombear sangue suficiente para o corpo fazendo com que as pernas retenham. Quando sentir dores ou inchaços nas pernas, ainda que acredite ser um problema pequeno, procure um clínico geral e faça exames.

Saúde é vida!

Dente doendo e gengiva inchada

Quem já sofreu com as terríveis dores de dente sabe como é triste estar em tal situação. A gravidade das mesmas podem variar de acordo com o problema apresentado e também do local onde dói. Antes de iniciar o tratamento, é indispensável que o paciente passe por um diagnóstico correto.

Lesões maxilares

A causa de tais desconfortos podem estar diretamente ligadas a lesões no maxilar. Mandíbula quebrada ou deslocada resulta especificamente nas dores de dente e também nos inchaços. Nesse caso, o afetado deve recorrer a ajuda médica, pois não há diagnóstico completo sobre o caso e consequente a isso os quadros podem se agravar.

Em alguns tipos de fraturas mais profundas, o dentista deverá voltá-la ao lugar, e não conseguindo, deve começar o trâmite para que a cirurgia seja realizada. Na necessidade da cirurgia, a mandíbula do paciente é amarrada por cerca de dois meses e fica proibido comer alimentos pesados. Sempre contando com o auxílio de medicamentos analgésicos para combater a dor.

Procure o consultório odontológico mais próximo e inicie o quanto antes o tratamento adequado em casos de lesões.

Inchaço da gengiva

O inchaço na gengiva pode também estar ligado a dor de dente. Denotando assim, que pode haver especificamente um dente com cáries ou resultando problemas específicos. Além dessas causas, é interessante observar alguns pontos já que o inchaço também é causado por:

  • Deficiências nutricionais
  • Gravidez
  • Infecções
  • Doenças

Algumas recomendações também são importantes:

  • Não fumar
  • Não beber
  • Não usar anti-séptico bucal

Medidas caseiras como colocar saco frio (com gelo) na bochecha podem ser soluções temporárias. Visite o seu dentista e procure afundo a solução para o problema.

Quadros dentários

Quando está com dor e não houve indícios de lesões, é bom rever. Provavelmente há grandes chances do problema estar ligado ao desenvolvimento de quadros dentários, como cáries. As cáries são buracos profundos no dente que acabam por trazer dores e infecções bacterianas.

Precisam ser tratadas junto a um consultório, já que esses buracos devem ser preenchidos. Além disso, o dentista é quem lhe orientará sobre a forma correta de cuidar dos dentes. Ensinando-o a escovação correta e o uso do fio dental. A dor será rebatida com uso de medicamentos.

Ainda que houver uma pequena dor ou seja a primeira vez que suas gengivas incham, é importante procurar um especialista. Somente um profissional estará apto a ordenar quais são os procedimentos corretos a seguir. Trazendo assim a melhoria e o bem estar.