Corrimento com sangue motivos

O corrimento com sangue apresenta diversos motivos que precisam ser analisados corretamente. A secreção vaginal é uma espécie de corrimento totalmente natural no corpo feminino, mas é importante que você observe alguns pontos para saber se esse está ou não dentro da normalidade. O primeiro passo para tal identificação é procurar saber se ela apresenta dores, desconforto ao urinar, sangramento durante o ciclo ou depois do sexo e até coceira e irritação.

Caso você se enquadre em qualquer uma dessas situações, é importante que procure um médico o quanto antes. O sangramento presente nos corrimentos indicam duas doenças sexualmente transmissíveis. Uma delas é a Gonorreia e a outra a Clamídia. Além do sangramento, a Gonorreia se apresenta com corrimentos na cor esverdeada e desconfortos na região íntima. Em casos de primeiros sintomas, é indispensável que procure ajuda médica.

Sintomas

Além do corrimento com presença de sangue, fique atenta a:

  • Dor ao urinar
  • Dor abaixo do ventre
  • Aumento do corrimento
  • Dor durante o ato sexual

Você só poderá constatar as doenças através de exames com um ginecologista.

O que são?

Corrimento com sangue (Foto: Reprodução)

A gonorreia e a clamídia são infecções na região interna do órgão sexual feminino que resultam em verdadeiros problemas de saúde. Essas são contraídas através do ato sexual e devem ser prevenidas através do uso de preservativo.

O tratamento para tais, deve ser feito com auxílio. Consistindo na ingestão de medicamentos próprios para combater infecções. As doenças quando não tratadas podem se espalhar por todo corpo, contaminando ovários, trompas e útero.

Corrimento marrom

Quando o corrimento se apresenta marrom, ele também indica que há presença de sangue. Se isso acontece logo após o período do ciclo menstrual, pode indicar resquícios de menstruação. Mas se esse categoriza-se fora do tempo, é preciso procurar um especialista. O corrimento marrom também pode indicar outros problemas como:

  • Vaginose
  • Feridas no colo do útero
  • Infecção bacteriana

Ele vem acompanhado de sintomas como:

  • Ardência
  • Cheiro forte e desagradável
  • Inchaço
  • Prurido (coceira)
  • Vermelhidão

Em qualquer uma dessas situações procure orientação médica. Nenhuma das informações contidas aqui anulam a ida a um médico. Somente um profissional poderá determinar seu quadro.

Gravidez com corrimento?

Gravidez com corrimento

O corrimento durante o período da gestação é normal. Isso acontece por uma série de fatores, mais precisamente devido as várias alterações hormonais que fazem com que seja expelido uma espécie de corrimento transparente e que não apresenta cheiro algum. Mas é importante lembrar que somente os corrimentos que estejam dessa forma é que podem ser considerados normais e sem risco algum de prejudicar ou afetar o bebê. Mas fora desses padrões, é importante ficar atenta.

No caso de apresentar outros tipos de corrimentos, em tonalidades:

  • Amareladas
  • Esverdeadas
  • Marrons
  • Acinzentadas

E também com representação de maiores sintomas, como:

  • Coceira
  • Dor ao urinar
  • Dor durante o contato íntimo

É indispensável que procure um profissional da área. Esses corrimentos podem ser causadores de doenças. O mais indicado para procurar nesse tipo de caso é o obstetra que poderá esclarecer suas dúvidas através de exames. Cada corrimento também pode indicar problemas mais graves ou sintomas de que o parto está próximo, fios de sangue, por exemplo, caracterizados pela cor marrom, nos últimos dias de gestação, podem significar que o parto está bem próximo.

Enquanto isso, outros tipos de corrimentos como o esbranquiçado pode indicar que você está com uma candidíase, enquanto o amarelado categoriza-se por uma vaginose bacteriana. Qualquer corrimento que não esteja dentro dos padrões de normalidade deve ser informado ao profissional que faz o acompanhamento da gestante. Os tratamentos serão realizados de acordo com o tipo de problema. Mas para evitar que esses problemas se desenvolvam, você precisa tomar algumas medidas, como:

Grávida (Foto: Reprodução)

  • Não utilizar duchas na lavação genital
  • Não lavar a região interna
  • Ter uma alimentação correta
  • Praticar atividades físicas
  • Lavar as genitais com sabonete neutro
  • Não usar absorventes internos
  • Passar o papel higiênico de frente pra trás

Além de tudo isso, é importante que a mulher tenha consciência de que não se deve ter múltiplos parceiros sexuais. Isso afeta a sua saúde e também coloca em risco a do bebê. Você fica mais vulnerável ao acometimento de doenças e ao desenvolvimento dessas mesmas no seu corpo durante o período em que a criança está se formando. O preservativo também pode ser um dos meios mais eficazes de proteção, nunca esqueça de usá-lo.

Procure seu médico, peça orientações e lembre-se que este artigo não substitui as orientações de um profissional. Mantenha-se sempre organizada em relação a saúde para evitar que problemas, até mesmo um aborto espontâneo.

Corrimento amarelado efeitos e motivos

Corrimento amarelado

Corrimentos que possuem odores ou coceira não são normais, independentemente de suas colorações. É por isso que é importante  a mulher fazer visitas periódicas ao ginecologista, evitando que haja o agravamento de alguma doença relacionada ao corpo e sua genital.

A infecção mais comum quando se apresenta o corrimento na cor amarela é a tricomoníase, uma doença sexualmente transmissível que além de trazer coceira à região vulvar, ainda emite dores durante o ato de urinar ou qualquer outro tipo de contato que seja íntimo. Para diagnosticar o problema, um médico deverá ser consultado.

Através de um exame clínico, mais conhecido como papanicolau é possível obter resultados satisfatórios, ou se estiver de acordo com a vontade do médico, basta observar a secreção vaginal decorrente do problema. O tratamento deve ser orientado pelo diagnóstico completo e preciso de um ginecologista.

Tratamento

Para tratar a tricomoníase, o ideal é que se faça ingestão de medicamentos como:

  • Metronidazol
  • Secnidazol

É importante ficar atento, pois a doença pode gerar problemas maiores como o risco de infecção pelo vírus da AIDS e outras DST’s. Além da tricomoníase, o corrimento amarelado pode resultar em outros tipos de doenças também relacionadas a região íntima feminina, bem como:

  • Gonorreia
  • Clamídia

Corrimento amarelado (Foto: Reprodução)

Essas trazem à mulher dores parecidas, ao ter contato íntimo ou urinar. O tratamento deve ser indicado por um médico responsável pela área de ginecologia. Ao ser tratada, a paciente deve indicar o tratamento também ao parceiro. Isso porque ao ter relações sexuais novamente, ela poderá ser infectada, caso esteja com um homem igualmente portador do vírus da tricomoníase.

Quanto aos corrimentos de cor amarelada que não apresentam odor, não se preocupe. Esse tipo de quadro é normal, principalmente se a mulher está em situação de idade fértil. Ele decorre devido as glândulas do colo do útero, liberando um muco transparente que aderem a cor amarelada, quando entram em contato com o ar.

Em sinais de corrimentos quando gestante, o médico deverá ser consultado em qualquer circunstância. Durante a gravidez, a tricomoníase pode afetar a saúde da mãe e do bebê, fazendo com que a criança nasça prematura ou o recém-nascido apresente peso baixo. O tratamento em gestantes é feito da mesma forma, sob a prescrição e observação de um obstetra.

Recomendações

Durante o período de tratamento, não é indicado que o paciente tenha relações sexuais sem o uso do preservativo, além de outras recomendações como:

  • Evitar duchas vaginais
  • Evitar utilização de perfumes para região íntima
  • Preferir roupas de algodão
  • Não usar calças ou shorts apertados
  • Manter a ingestão dos medicamentos nos horários recomendados pelos médicos

Nenhuma das informações aqui relatadas, substituem o acompanhamento médico ou anulam a prescrição do mesmo em relação aos medicamentos. Aos primeiros sintomas, consulte um especialista.

É normal ter corrimento?

É normal ter corrimento?

Essa é uma pergunta muito frequente no universo feminino. As mulheres ficam em dúvida quanto a sua resposta, devido a vários mitos muito conhecidos por aí. É totalmente normal ter corrimento, o corrimento nada mais é do que uma espécie de lubrificação do órgão genital feminino.

O problema começa quando esse mesmo corrimento chega a apresentar desconforto. Nesses casos, ele geralmente coça, tem cheiro ruim e sempre está acompanhado de cores nada naturais, como o verde, amarelo ou até esbranquiçado demais. Caso o seu corrimento se enquadre em alguns desses tipos, ele não é normal.

Principalmente na fase adolescente, devido a grande quantia de hormônios, as meninas tendem a ter uma espécie de corrimento que não chega a ser prejudicial a saúde, exceto se esse vier acompanhado dos problemas e sinais ditos acima. É por isso, que saber identificar o corrimento é tão importante.

Corrimento é normal? (Foto: Reprodução)

A primeira indicação em casos de corrimentos perigosos, é procurar ajuda médica. É importante que a mulher tenha acompanhamento ginecológico com frequência, para evitar não só esse tipo de problema, como muitos outros decorrentes de mal funcionamento do sistema reprodutor feminino.

Depois de ter sido examinada perfeitamente, o médico poderá lhe receitar todos os medicamentos para tratar o seu caso, impedindo que o problema se agrave. O corrimento é um problema quando ele está conectado a infecção do órgão genital feminino, é muito comum que isso aconteça.

Geralmente suas causas estão ligadas a má higiene, exposição a bactérias e até por peças íntimas mal lavadas que restem qualquer tipo de vestígio infeccioso. As perguntas que você deve se fazer para ter certeza de que seu corrimento não é normal, são:

  • Tem cheiro?
  • Coça?
  • Arde?
  • Tem cor?
  • É constante?

Se qualquer uma das respostas para essas for sim, você estará com toda certeza correndo riscos. Mas lembre-se que esses casos não são desesperados, naturalmente você poderá se consultar e receber tratamento adequado. A mulher que possui vida sexual ativa deve evitar a prática no período de tratamento.

Também é importante que seu parceiro seja tratado igualmente, para que a infecção não retorne ao corpo da mesma.

Corrimento verde

Tricomoníase

Corrimento com cores em tonalidades voltadas para o verde tendem a ser uma infecção chamada pelo nome Tricomoníase. Os sintomas da mesma são bem claros, mas podem desenvolver outras espécies de corrimento. Um dos principais desconfortos é a dor ao urinar e o mal cheiro excessivo.

Aspectos do corrimento

  • Amarelado ou esverdeado
  • Líquido (ou)
  • Pastoso (ou)
  • Grosso (e)
  • Bolhoso

Tanto em mulheres, quanto em homens, o corrimento pode trazer dores e ser transmitido através das relações sexuais. Para obter resultado, um exame feito pelo líquido vaginal é transportado para análise. No caso dos homens, o mesmo pode ser reconhecido através da urina.

Corretamente, tudo deve ser feito de acordo com um olhar clínico e acompanhamento médico. A infecção não apresenta grandes riscos à saúde, mas afeta sua vida sexual e ainda pode trazer doenças graves no futuro. Aos primeiros sintomas vá ao médico.

Tratamento

Corrimento esverdeado (Foto: Reprodução)

O tratamento é feito a base de medicamentos especiais. O Metronidazol é tomado em dose única ou até mesmo via oral, em formato de comprimidos, o indicado são duas cápsulas. Cada uma deve possuir uma quantia referente a 500mg e ser ingerida durante 7 dias, de acordo com a necessidade do paciente.

Durante o tratamento, os médicos recomendam evitar a atuação sexual. Ambos parceiros devem ser tratados igualmente. Homens geralmente não apresentam sintomas, por isso, embora pareça desnecessário, trate seu parceiro para evitar problemas de reinfecções.

E durante a gravidez?

Para quem está com o problema durante a gravidez, deve obter um pouco mais de agilidade no tratamento. O Metronidazol ainda é o medicamento eficaz, contudo ele deve ser tomado em dose única. O medicamento pode ser utilizado em qualquer época da gestação, não agride o bebê.

Cuidados

Você deve manter o seu corpo e suas partes intimas sempre limpas. Evite contato com sujeira e troque sua roupa íntima ao menos 3 vezes ao dia. Recomenda-se que durma sem roupas íntimas durante alguns dias. Lave as partes intimas com sabão neutro e água morna diariamente.