Quem pode trabalhar com pilates?

O Pilates é um método que surgiu no ano de 1983 na Alemanha, porém seu nome só ganhou repercussão a partir de meados dos anos 40, com dançarinos famosos que utilizavam a técnica. Hoje, no mundo, milhões de pessoas são adeptas, já que promove importantes mudanças no corpo, trazendo qualidade de vida e longevidade.

O exercício exige pouco impacto e poucas repetições, mas proporciona resultados eficientes sem desgastar os músculos e as articulações. Por carregarem um rigor de exatidão, os movimentos podem ser praticados por pessoas de todas as idades, até mesmo com doenças ósseas, musculares ou crônicas.

A modalidade de ginástica tem sido bastante procurada nos últimos tempos por quem é fitness e/ou prefere exercícios em grupo. Logo, a oferta pra esse tipo de serviço cresceu também, porém a rede de profissionais qualificados ainda não conseguiu acompanhar o ritmo.

Pilates.
(Foto: Reprodução)

Conforme a legislação brasileira, apenas dois profissionais estão aptos para ministrarem aulas de Pilates: aqueles que tem formação em Fisioterapia ou Educação Física. Fora esses dois, todo o restante pratica de forma ilegal, o que pode comprometer a saúde física de quem recebe orientação dessas pessoas.

O Confef (Conselho Federal de Educação Física) publicou em 2010 a Resolução n° 201, que reconhece a prática do pilates como uma modalidade de ginástica, necessitando assim ser orientada por um profissional que tenha formação superior em Educação Física.

Resolução CONFEF nº 201/2010

Já a Resolução n° 386, de 2011, instaurada pelo Coffito (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional), afirma que o uso desta técnica compete ao fisioterapeuta, pois o mesmo é capaz de induzir e avaliar os efeitos.

Resolução COFFITO n°386/2011

Percebemos então que para ser um profissional que trabalha com Pilates, é necessário ter uma formação superior na área. É recomendável também, após a conclusão da faculdade, a realização de um curso de especialização, são vários que o mercado oferece, escolha o que melhor encaixar no seu perfil, pois ele poderá fazer uma grande diferença no currículo do candidato que estará na busca por um emprego ou por um negócio independente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.