DicasFree.com » Gravidez » Aumento da gravidez na adolescência nos dias de hoje

Aumento da gravidez na adolescência nos dias de hoje

A gravidez na adolescência é considerada um tabu, apesar da frequência com que acontece. Saiba os motivos do aumento desse índice através deste artigo.

     

Gravidez na adolescência é sempre um tema polêmico. Principalmente na atualidade, esse tipo de acontecimento tornou-se tabu apesar de sua frequência. É possível que, você lendo essa matéria agora, conheça uma ou duas adolescentes grávidas ou que engravidaram durante essa fase da vida.

Levando em consideração a enorme quantidade de informação a respeito de relações sexuais e concepção, e a quantidade e variedade de itens contraceptivos disponíveis no mercado (nos mais variados preços), qual seria o motivo do aumento nos casos de gravidez na adolescência nos dias de hoje?

Por dentro do assunto

Primeiramente, devemos estar cientes do atual cenário brasileiro. Ao contrário do que muitos pensam, o Brasil vem experimentando uma diminuição nos casos de gravidez na adolescência, segundo pesquisas mais recentes. Isso quer dizer que não só o maior acesso aos métodos contraceptivos e informação sobre o assunto, mas também o fator das consequências sociais desse tipo de gravidez vem alarmando cada vez mais os jovens.

Apesar da diminuição, gravidez na adolescência continua sendo um problema de saúde pública.

Contudo, os índices de gravidez na adolescência ainda continuam relativamente altos. No Brasil, cerca de 12% das adolescentes entre 15 e 19 anos tem um filho. Entre 12 e 15 anos o número cai para 2%.

Informação x ação

Um dos principais argumentos, principalmente dos mais velhos, é a quantidade de informação disponível sobre o tema da sexualidade. De fato, uma simples pesquisa na internet pode sanar todas as dúvidas de um adolescente. Além disso, muitas escolas possuem a matéria de orientação sexual, além de promover palestras explicativas sobre concepção e outros assuntos vinculados. Vale lembrar das campanhas do ministério da saúde, as propagandas de tv e a distribuição de preservativos gratuitamente.

Porém, a quantidade de informação e acesso aos produtos não necessariamente muda as escolhas dos adolescentes. Essas coisas tem sua importância e seu peso nesse aspecto, mas no final é o próprio adolescente que vai decidi o que vai ou não usar em uma relação sexual. Vários fatores podem influenciar à tomada de decisões erradas e são eles que vamos explorar nesse post.

Pouca experiência

A adolescência é um período de grandes transformações para o ser humano. O aumento da produção hormonal muda o corpo do jovem e novas vontades e desejos se despertam. O desejo sexual é uma delas e isso se torna uma novidade ainda pouco explorada nessa idade. A falta de experiência não só sexual, mas também em relacionamentos é determinante em escolhas erradas.

Muitas vezes, existe uma pressão tanto no homem como na mulher para satisfazer seu parceiro. Essa pressão, quando não trabalhada e resolvida pelo casal, pode estimular o sexo sem camisinha como forma de “garantia” no prazer. A própria falta de diálogo sobre o assunto entre os casais que geralmente tem sua primeira relação sexual em um curto período (na primeira noite ou primeira semana, por exemplo) também influi nesse sentido.

Fator social

A grande quantidade e facilidade de acesso a informação também favoreceu algumas ideias sociais que acabaram funcionando como elemento psicológico. Em grande parte dos casos, garotos e garotas iniciam a vida sexual precocemente por pressão de grupos de amigos ou efeito na própria sociedade no geral.

Consequentemente, o início precoce é acompanhado da inexperiência e imaturidade, fazendo com que medidas contraceptivas não sejam utilizadas. Existem muitos casos de garotas que engravidaram até mesmo na primeira relação sexual que tiveram na vida. É também relativamente comum que as mesmas garotas voltem a engravidar ainda na adolescência.

Utilização errônea dos métodos

Muitas vezes, o tempo do adolescente é diferente do tempo de um adulto. Os jovens tem maiores tendência de adquirir confiança no parceiro em poucos meses ou semanas de relacionamento. Sendo assim, é comum que ambos, mesmo que tenham sido cuidadosos no início, passem a ter relações sexuais sem preservativo e optem pelo uso do anticoncepcional.

Esse método é muito seguro, porém demanda grandes responsabilidades e um bom diálogo entre o casal. Muitas adolescentes acabam se automedicando, erro comum que pode afetar negativamente na contracepção. O correto é se consultar com um ginecologista e pedir que o médico receite a pílula certa para o seu organismo.

Os erros na manipulação da pílula (não saber o que fazer caso esqueça de tomar um dia, etc) e nos horários de ingestão são muito comuns. Até mesmo no caso da camisinha, erros na hora de colocar o preservativo (colocar do lado errado, deixar ar na ponta do preservativo, abrir a embalagem com objetos cortantes, não retirar rapidamente após o coito, etc) e utilizar são ocasionados não só na adolescência.

 

Posts relacionados

  • Obesidade na infância e na adolescência
  • Motivos para fazer maior ingestão de água
  • Mamoplastia o aumento dos seios
  • Como tratar a depressão na adolescência?
  • Sinais de gravidez e sintomas de gravidez na adolescência
  • Consequências da obesidade: Infância,adolescência e adultos
  • Tratado de Petrópolis resumo
  • Stress da vida moderna
  • Sintomas do Toc e tratamento
  • Devolução de cheque motivo 48
  • Qual o motivo do corrimento esverdeado
  • Qual o Motivo do Corrimento Amarelado
  • A MENSTRUAÇÃO PODE ATRASAR
  • Gravidez precoce na adolescência
  • MENSTRUAÇÃO NÃO VEIO
  • Menstruar é normal?
  • QUAL A MELHOR FORMA DE PERDER PESO EM GAROTAS?
  • Garotas grávidas na adolescência sintomas

  • Quer comentar ?