DicasFree.com » Animais » Aves que arrancam suas próprias penas

Aves que arrancam suas próprias penas

Algumas aves que passam por situações de estresse, ansiedade ou até mesmo por questões clínicas ou genéticas tendem a se automutilar arrancando as próprias penas. Confira então como tratar do seu pássaro se ele está tendo este comportamento.

     

A automutilação é uma condição que atinge a vários animais domésticos, como cães, gatos e, principalmente, aves. No caso das aves a automutilação se direciona para o arrancar de penas e em muitos casos até mesmo da própria pele.

As aves que mais são mais propensas a se automutilar são os psitacídeos, como por exemplos, os papagaios, cacatuas, calopsitas e periquitos. Tal tendência pode se dar por questões ligadas ou comportamentos ou de teor clínico.

Os psitacídeos são aves bastante sociáveis e que gostam de andar em bandos, situação a qual explica em parte a ótima convivência que elas costumam ter com seres humanos. Muitos desses pássaros tem dificuldade em viver isoladamente, sozinhos, em gaiolas apertadas ou em ambientes barulhentos, situações as quais fazem com que o animal se estresse.

No entanto, este é um momento de muita atenção, uma vez que os pássaros podem soltar suas penas naturalmente, como no caso das penas da cauda que se danificam ao esbarrar nas grades da gaiola ou até mesmo pela mutilação natural pela qual todas as aves passam quando suas penas começam a cair aos poucos.

Tratamento

Periquito.
(Foto: Reprodução)

Você deve entender que arrancar as próprias penas não é uma doença do animal, mas sim um sintoma. Portanto, se você tem uma ave e ela começou a arrancar as suas próprias penas, leve-a um veterinário, pois ele fará o diagnóstico e orientará sobre como deverá se proceder para que as possíveis causas do problema sejam solucionadas.

O primeiro passo é conseguir um colar elisabetano, no mesmo modelo daqueles que se usam em cães recém operados, para evitar que a ave consiga se mutilar. Existem alguns veterinários que afirmam que tal apetrecho deixa as aves mais estressadas, contudo em virtude deste ser um problema muito grave, não se tem para onde fugir.

Causas

  • Parasitas na pele: tratamento a base de ectoparasiticida.
  • Infecção respiratória: reposição de hormônios por meio de medicações.
  • Frustração sexual: adoção de um parceiro ou redução de hormônios por meio de medicações.
  • Solidão: adoção de uma nova ave, não precisa ser do mesmo sexo ou espécie.
  • Animal novo em casa: remoção do animal da vista da ave.

Dicas

Após o seu pássaro ser diagnosticado e passar pelo tratamento necessário, é melhor tomar algumas precauções para alcançar um resultado satisfatório. Para isso, procure sempre oferecer uma ração em dieta balanceada, mantenha sempre a gaiola limpa e espaçosa, se possível até troque de lugar eventualmente, banhe a ave diariamente, principalmente no verão, a leve para passear quando o tempo estiver agradável e compre brinquedos para ela.

Posts relacionados

  • Animais em Extincao na Mata Atlântica
  • Reprodução e crescimento dos mamíferos
  • Aprenda como refrescar seu cachorro em dias quentes
  • Animais em extinção na Floresta Amazônica
  • Sintomas da raiva em humanos
  • Cachorro pode comer batata doce?
  • Cachorro espirrando e engasgando
  • Animais de sangue frio e quente
  • Raça de cachorro que não late
  • Animais da caatinga brasileira em extinção
  • Porco espinho filhote fotos
  • Comportamento das formigas cortadeiras
  • Gato do mato em extinção
  • Como montar uma ONG para cuidar de animais?
  • Lista de animais em extinção no Brasil
  • Pássaros em extinção no Brasil
  • Som dos animais
  • Qual a região da peixe-boi?
  • Cachorro com tontura
  • Aves que falam
  • Comportamento de gato siamês filhote
  • Lista de animais ameaçados de extinção no Brasil
  • Cachorro com coco preto e mole
  • Porquinho da Índia
  • Cachoro para kitnet shit-zu para kitnet
  • Por que os animais estão em extinção?
  • Lista de animais em extinção no Brasil
  • Qual pássaro simboliza o Brasil?
  • Divisão dos grupos animais
  • Hemorroida em cachorro: sintomas, tratamentos

  • Quer comentar ?