DicasFree.com » Saúde » É comum a menstruação pós-parto?

É comum a menstruação pós-parto?

Após o parto, é comum que mulheres fiquem apreensivas devido aos sangramentos. Se você deseja saber mais sobre esse assunto, confira este artigo.

     

Menstruação pós parto

Ocorrer uma liberação de sangue algum tempo depois do parto é completamente normal. Todas as mulheres, independente de partos normais ou cesarianas, tendem a eliminar (o que não é menstruação) uma quantia de sangue específica. Este sangue é que revestia o útero e a placenta.

A estimativa que se tem, é que esse sangramento ocorra entre 45 e 56 dias apenas. Inicialmente ele possuirá uma cor viva e bastante avermelhada, com o passar dos dias ele escurecerá e se tornará amarelado, até que finde. Não se preocupe caso o fluxo seja grande, é completamente normal no pós-parto.

A menstruação (propriamente dita) só deve começar novamente após o período de amamentação. Durante esse tempo ela não terá períodos férteis e não terá capacidade de engravidar. Contudo, isso não significa que não deve usar algum método contraceptivo. As surpresas sempre podem acontecer.

Ocorrer uma liberação de sangue algum tempo depois do parto é completamente normal em todas as mulheres. (foto:reprodução)

Quando não há amamentação, o tempo em que voltará aos seus ciclos menstruais é de 3 a 4 meses. E se  neste caso, a menstruação ocorrer de forma escura, não se preocupe pois está dentro dos parâmetros também. É comum que a mesma passe cerca de 6 a 8 dias menstruada.

Somente com o passar do tempo é que tudo voltará ao normal, isso porque o corpo se transformou para carregar um bebê e agora precisa de um tempo para voltar ao que era antes. Quanto aos pequenos sangramentos durante esses meses, não há com o que se preocupar e certamente você perceberá caso algo esteja fora do normal.

Sangramentos excessivos que podem te deixar pálida ou de aparência anêmica devem ser levados apresentados ao seu médico. A qualquer sinal de problemas graves relacionados a menstruação, não hesite em procurar um profissional especializado, o ginecologista. Os tratamentos e os possíveis problemas só podem ser orientados por ele.

Texto do mesmo assunto:


Quer comentar ?