Como imigrar para o Canadá legalmente

Escolher a imigração para o Canadá é uma escolha que mudará a vida de uma pessoa da cabeça aos pés. Deixar pessoas queridas para viver em um país com uma cultura diferente não é uma decisão fácil.

Sendo assim, antes de decidir optar pela imigração, será necessário pesquisar tudo sobre o Canadá, principalmente as oportunidades, os prós e os contras. Compreenda que o Express Entry, é o sistema de imigração para o Canadá, que possui como escolha para a imigração:

• Trabalhadores qualificados (Federal Skilled Worker Program)
• Trabalhadores técnicos (Federal Skilled Trades Program)
• Canadian Experience Class. (Experiência)

Para se candidatar será necessário entrar no site da Imigração Canadense para preencher o formulário online. Deste modo, todos os candidatos entrarão para o banco de dados.

Somente os candidatos aceitos pelo Express Entry, poderão fazer o pedido de “Residente Permanente”, com prazo de 60 dias, após receberem o convite formal “Iitation to Apply for Permanent Residence”.

O Express Entry, traduzido para o português é “Entrada Expressa”, o nome explica o curto prazo de seis meses ou menos, permitido para organizar todo o processo de imigração.

O nome do candidato inscrito, poderá ficar no banco de dados do Express Entry, por até doze meses. Caso tenha feito sua inscrição e depois de doze meses não o chamaram, é possível fazer a atualização do perfil para enviar novamente ao sistema.

Veja a seguir, os itens cobrados durante o formulário online, que são essenciais para adquirir a imigração canadense.

• Habilidades profissionais
• Experiência de trabalho
• Nível educacional
• Dominar uma das línguas: Inglês ou Francês

A dica para quem não foi chamado pelo sistema “Labour Market Impact Assessment” ou que não foi nomeado, é de se cadastrar no “Employment and Social Development Canada’s (ESDC)”, que é o banco de empregos oficial do país.

O intuito do banco de empregos é dar assistência para que os candidatos conquistem uma oferta de emprego de outro empregador canadense. Porém, a maioria dos empregos oferecidos aos candidatos, necessitará da aprovação oficial pelo “Labour Market Impact Assessment”, pois será preciso investigar se não há nenhum canadense disponível para a vaga.

Os candidatos que são convidados para dar entrada ao pedido de migração, são os mesmo que tiveram as melhores pontuações. Veja a seguir, pontos que ajudam a somar:

• Obter oferta de emprego de alguma empresa canadense, lembrando que tem que ser oficial e aprovada.
• Obter convite de alguma Província ou Território Canadense.

O candidato poderá somar até 1.200 pontos. Sendo assim, entenda a seguir, como funciona a pontuação do Express Entry:

• Habilidades e Experiência

Candidato solteiro: no máximo 500 pontos, sendo 110 pontos possíveis para a idade, 150 pontos possíveis para o nível educacional, 136 pontos possíveis para o domínio do Inglês ou Francês, porém 24 pontos para a língua secundária (Inglês ou Francês), 80 pontos possíveis para experiência prévia de trabalho no Canadá.

Candidato casado: no máximo 460 pontos, sendo 100 pontos possíveis para a idade, 140 pontos possíveis para o nível educacional, 128 pontos possíveis para o domínio do Inglês ou Francês, porém 22 pontos para a língua secundária (Inglês ou Francês), 70 pontos possíveis para experiência prévia de trabalho no Canadá.

Esposa/esposo do candidato: no máximo 40 pontos, sendo 10 pontos possíveis para o nível educacional, 20 pontos possíveis para o domínio do Inglês ou Francês, 10 pontos possíveis para experiência prévia de trabalho no Canadá.

• Habilidades transferíveis

Pontuação máxima: 100 pontos.

50 pontos para quem possui domínio do Inglês e/ou Francês, junto a formação pós-secundária.

50 pontos pra quem tem experiência de trabalho prévio no Canadá, junto a formação pós-secundária.

50 pontos para quem possui domínio do Inglês e/ou Francês, junto a experiência de trabalho no exterior.

50 pontos para quem possui experiência de trabalho prévio no Canadá, junto a experiência de trabalho no exterior.

50 pontos para quem possui domínio do Inglês e/ou Francês, junto a um certificado de qualificação profissional.

• Pontos adicionais

Pontuação máxima: 600 pontos

600 pontos possíveis para o candidato com oferta de trabalho em alguma empresa canadense ou que tenha sido nomeado por alguma Província ou Território Canadense.

Dica:

• As duas melhores formas para conseguir um emprego no Canadá é enviar currículos via e-mail para empresas canadenses ou estudar no Canadá para conseguir um emprego, fator que aumentará as chances de uma futura imigração.

Lula vira ministro

Ontem, terça-feira (15), por volta das 18h55, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou a presidenta Dilma Roussef no Palácio da Alvorada para debater a provável nomeação do ex-presidente Lula como ministro, ocupando o lugar de Ricardo Berzoini, na Secretaria de Governo, que também participou da reunião, junto a Jaques Wagner, da Casa Civil.

O anúncio oficial de que Lula aceitou de fato o posto de ministro, seria declarado nessa terça-feira (15), porém deu-se no adiamento, dado que ocorreu a divulgação da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (MS).

Segundo, um ministro petista, o ex-presidente reuniu-se pessoalmente com a presidenta Dilma, para afirmar o seu sim ao ocupar o cargo de ministro-chefe da Secretaria de Governo.

http://www.folhapolitica.org/2015/09/janot-encaminha-ao-stf-pedidos-para.html

Enquanto isso, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha do PMDB-RJ, planeja uma comissão para considerar a retirada da presidenta Dilma de seu posto. Sabendo-se disso, considera-se que o ex-presidente é o único capaz de impedir o processo de impeachment da presidenta, assim que aceitar o posto de ministro.

Por conseguinte, Lula ao assumir o papel de ministro, deixará de ser investigado e julgado pelo então juiz federal Sérgio Moro, encarregado pela Operação Lava Jato. Sendo assim, o Supremo Tribunal Federal (STF) será o responsável pelo caso do ex-presidente.

Antes de seu encontro com a presidenta, em Brasília, o ex-presidente postou em suas redes sociais um vídeo em que praticava exercícios físicos. Lula, quis mostrar aos internautas através do seu fotógrafo oficial, Ricardo Stuckert, o que ele fazia naquela manhã e também mencionar o lado positivo de se exercitar.

Todos esperam que nessa quarta-feira (16), o ex-presidente bata o martelo como primeiro-ministro, logo, o esperado é que o ex-presidente passe a comandar articulações políticas, com o objetivo de evitar o impeachment de sua sucessora.

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/lula-nao-adianta-beber-as-provas/

Para os integrantes da cúpula do PMDB, ter o ex-presidente como ministro é o término do governo petista. Para eles ter Lula de volta, é uma forma da presidenta Dilma declinar do seu governo.

Não existe uma concordância exata para a cúpula do PMDB, em relação a colisão que poderá ser provocada pela performance do ex-presidente junto aos seus cúmplices. Porém, o esperado é que assim que o Lula assuma como primeiro-ministro, passe a planejar encontros com as principais lideranças do Congresso.

O partido PMDB, assimila que com o ex-presidente como ministro, trará novas ideias, que poderão bagunçar e confundir todo progresso feito para o impeachment contra a presidenta Dilma.

No entanto, de acordo com o presidente da câmara, Eduardo Cunha, será finalizado daqui quarenta e cinco dias, o processo responsável pelo distanciamento da presidenta.

Efeitos de uma crise econômica num país

Não é de agora que muitas nações sofrem com as crises econômicas. Algumas já passaram por elas, outras estão amargando o sabor da situação e ainda há os que vivem novamente o fantasma. Um bom exemplo de crise que entrou para a história foi de 1929.

As bolsas de valores no dia 24 de outubro daquele ano despencaram provocando uma reação em cadeia, foi a pior crise econômica da história do capitalismo que se arrastou por uma década. Os anos 30 ficaram conhecidos como a grande depressão.

O contexto histórico mostra que uma crise pode acontecer por fatores diversos e atingir muitos setores, desde o campo às indústrias nas grandes cidades. O setor financeiro é o que mais sofre com os impactos, já que a economia está ligada de forma direta e indiretamente a outros países.

Crise econômica (Foto: Reprodução)

Os efeitos econômicos em uma nação tem consequências como:

  • Queda da bolsa de valores.
  • Desvalorização da moeda no cenário internacional.
  • Vendas de ações e títulos de empresas.

A crise se estende com a falta de crédito para os pequenos, médios e grandes empreendedores. O governo tomando a iniciativa de aumento dos juros nas instituições financeiras, demonstra a clara desaceleração da economia.

Agravando ainda mais a situação, empresas que exportam seus produtos tem prejuízos no mercado cambial devido a desvalorização da moeda nacional.

Com a alta da demanda de determinado produto, a tarifa cobrada consequentemente será maior. Da mesma maneira acontece com as usinas hidrelétricas que dependem da água da chuva para encher os reservatórios e as comportas se abrirem para gerar energia.

Havendo pouca oferta e muita demanda, a manobra do governo é semelhante a tarifa da conta de água. Em todo caso, a falta de água e energia geram prejuízos diversos atingindo principalmente o setor econômico.

O que fazer?

  • Renegociação de dívidas internas e externas.
  • Conciliação para que as instituições financeiras voltem a ter crédito.

Estes caminhos quando aplicados, impedem que a crise se agrave e gere problemas ainda maiores assim como o desemprego, um dos problemas mais temidos. Contudo, o governo sabe que um dia a crise passará, pode demorar, deixar cicatrizes, mas passará.

Como um país pode enfrentar uma crise econômica?

Não é fácil para nenhum país afirmar que está passando por dificuldades financeiras, o anúncio gera especulações de que o governo dificilmente sairá da situação desfavorável e isso abala as estruturas governamentais.

Antes mesmo de sabermos como um país pode enfrentar tal crise, é indispensável termos o conhecimento dos efeitos colaterais que essa pode causar em uma nação. A crise pode surgir por meio de situações diversas, sendo um fenômeno interno ou externo.

Se no cenário internacional houve alguma tensão financeira e isso se refletiu dentro do país, como a baixa na produtividade das industrias por exemplo, cabe ao governo agir de forma preventiva para que a economia não seja afetada. E se for afetada, estratégias deverão ser usadas para que não haja maiores prejuízos.

Crise financeira em um país (Foto: Reprodução)

Em casos de crise interna, em algum setor, uma medida deve ser tomada. Caso contrário haverá um efeito cascata com o aumento dos preços de diversos produtos e ações aplicadas pelo governo para combater a inflação, ou seja, o aumento de impostos.

Tendo conhecimento prévio dessa crise, cabe ao governo agir. Infelizmente alguns sacrifícios serão necessários como o arrocho salarial do trabalhador, o aumento de impostos para arrecadar mais dinheiro e pagar dívidas, assim como o aumento dos juros cobrados pelas instituições financeiras.

Mas até esperar a tempestade dissipar, isso pode levar meses e até mesmo anos. No entanto, uma outra medida é cortar gastos. Começando pela cúpula ministerial, com a redução de cargos comissionados e funcionários que detém alguns privilégios.

Reduzir salários de deputados e senadores e outros representantes também são boas formas de economizar. Algumas taxas como imposto sobre produtos importados e industrializados aumentarão, estando outra alternativa nas negociações diplomáticas com relação a exportação de produtos.

É preciso se arriscar e mostrar aos estrangeiros que, mesmo em tempos de crise, podem apostar no país e dar credibilidade. Um país em crise precisa valorizar o que tem de melhor para os investidores que neste momento estão indecisos, arrisquem negócios. É preciso investir e chamar atenção para reverter a situação atual.

Diversas medidas são analisadas para melhor serem aplicadas e para que a população não se prejudique mais ainda.

Lugar do mundo onde os cidadãos se sentem mais felizes

No mundo conturbado em que vivemos, dá pra imaginar que existe um lugar onde as pessoas são realmente felizes? Onde possuem o direito de se expressar, de confiar uns nos outros e acredite, até fazer negócios. Parece difícil crer que este paraíso na terra exista, mas ele está logo aí, na Europa. Este fantástico lugar é a Dinamarca, situada na Europa Setentrional, também denominada um país nórdico.

Atualmente é a nação mais estável em questões econômicas, tanto internas quanto externamente. O reino carrega há muitos séculos o bem sucedido sistema de governo monárquico constitucionalista, ou seja, onde há uma série de leis fundamentadas que limitam os poderes do monarca.

Dinamarca
(Foto:Reprodução)
Crédito de imagem: http://10lugares.com/

Considerado um dos melhores lugares para se viver, a Dinamarca também é um exemplo a ser seguido. Enquanto o mundo anda promovendo o aquecimento global, ela sai em primeiro lugar na sustentabilidade.

A geração de energia renovável que o país produz provém das turbinas eólicas, mesmo obtendo fontes consideráveis de petróleo e gás natural no qual diminuem o consumo destas matérias. Tudo para fornecer ao cidadão a melhor qualidade de vida.

Além disso é campeã em assistência médica de primeira qualidade, transporte público, educação e segurança. É raro ver nos noticiários qualquer coisa relacionada a violência. Oferece aos seus cidadãos uma boa infraestrutura para que todos vivam de forma confortável.

Trata-se de um país onde quase não se fala em corrupção ou praticamente nada a respeito do assunto. Valoriza a cultura, bem como a preservação dos costumes dos seus ancestrais. A literatura e música estão interligadas e voltadas como método educacional.

Curiosidade

O famoso conto do Patinho Feio e a Pequena Sereia foram escritos por Hans Andersen, dinamarquês que teve vários outros contos infantis publicados. Essa ligação da literatura com o povo é muito forte, um dos poemas mais antigos da Escadinávia (assim como na epopeia de Homero, Odisseia) é Beowulf (narrados os feitos de um guerreiro da tribo de Gauta, designado a matar dragões que aterrorizavam a região que hoje é a Dinamarca). Outra prática que os povo dinamarquês aprecia e os fazem mais felizes ainda é o futebol.

Quem é que não se sente feliz vendo que as autoridades de seu país pensam no povo? Se te deu aquela vontade de conhecer, vá! Os dinamarqueses são hospitaleiros e sempre se alegram com visitantes brasileiros!