Como conquistar uma amiga da escola para namorar

Existem amizades que se tornam tão especiais, que a partir de um certo momento aquele laço de amizade acaba se transformando num laço amoroso, por exemplo, não é incomum se apaixonar por uma amiga especial.

Muitos amores surgem justamente de uma amizade, pois os momentos juntos são adoráveis e recheados de diálogos interessantes. Sendo assim, é impossível não se apaixonar por uma amiga que o deixa tão à vontade.

Talvez antes você não percebesse o quanto o sorriso dela é bonito e cada vez mais descobre coisas bonitas no jeito e na fala dessa amiga. Porém, nem sempre é fácil abrir o coração, portanto, veja a seguir uma lista do que é necessário saber para iniciar a conquista.

Para conquistar a sua amiga é necessário primeiramente saber as seguintes coisas:

• Analisar os prós e os contras para não estragar uma amizade importante.
• Perceber que a atração é recíproca.
• Pense muito para não agir com impulsividade
• Quando tiver certeza dos seus sentimentos, prepare-se para agir com sutileza.

Todos esses itens são importantes para não estragar uma amizade tão importante, entenda que se existe a certeza de que ela só o vê como amigo, não adianta jogar todos os seus sentimentos no ventilador, pois deixará um clima ruim na amizade de vocês.

Veja a seguir, as melhores dicas de como conquistar uma amiga da escola:

Indiretas

Indiretas são sempre bem vindas para demonstrar implicitamente o seu interesse na garota, assim, ela poderá interpretar os seus sentimentos, demonstrando também indiretamente os sentimentos dela.

Sendo assim, fique atento aos sinais da garota para que você saiba captar de maneira correta, pode ser que ela corresponda positivamente as suas indiretas e pode ser que ela corresponda negativamente, logo, esteja preparado para interpretar cada gesto e palavra.

Comunique outros amigos

Fale sobre os seus sentimentos com aqueles amigos que você realmente confia, ou seja, aqueles amigos que não sairão fofocando para a escola todos os seus sentimentos.

Conversar com um amigo de confiança é um ato positivo, pois poderá receber conselhos que o farão enxergar a situação de uma forma mais clara, além disso, os seus amigos poderão dizer quais são as melhores atitudes a serem tomadas no momento.

Demonstre os seus sentimentos

Comece a demonstrar os seus sentimentos de forma singela, por exemplo, elogie a sua roupa, cabelo, etc. Quando estiverem passeando perto de um canteiro com rosas pegue uma e dê a ela de uma forma que demonstre o quanto ela é especial.

Não hesite em presenteá-la com um chocolate no intervalo, nem em perguntar se ela precisa de ajuda para estudar para a prova. Pergunte como está a situação dela diante os estudos. Assuntos assim, poderão demonstrar para a sua amiga o quanto você gosta dela.

Naturalidade para conquistar

Tenha naturalidade para conquistar a sua amiga, não precipite nenhum ato. Posto isto, convide-a para um passeio, como um cinema, teatro ou até mesmo um jantar mais romântico.

É importante agir com naturalidade para que ela não pense que você está apenas tentando impressioná-la. Continue sendo o mesmo amigo de sempre, só que dessa vez demonstrando com naturalidade os seus sentimentos.

Atitude

Será necessário ter muita atitude para confessar os seus sentimentos a amiga desejada, principalmente depois de perceber que os sinais dela foram positivos em relação as suas conquistas.

Por conseguinte, não fique esperando que aconteça um milagre, tenha atitude para dizer com cautela o quanto você gosta dela. Porém, não seja apressado, talvez ela precise de um tempo para pensar sobre vocês.

Deixe acontecer naturalmente

Depois de ter se declarado, deixe que as coisas aconteçam naturalmente. Caso, vocês fiquem juntos em um relacionamento amoroso, não deixe que o laço de amizade acabe.

Será necessário muita maturidade para viver um romance com a sua amiga, pois você precisará manter a cautela diante os seus sentimentos, para que a amada não fique sentindo-se pressionada.

Veja a seguir, mais dicas que podem colaborar na conquista:

Esteja presente: Não fique distante da sua amiga, pois para conquista-la é necessário se fazer presente, até mesmo nos pequenos detalhes, por exemplo, pegar algo que ela tenha deixado cair no chão e participar dos momentos comunicativos da galera.

Seja inteligente: Deixe que a sua amiga perceba o quanto você é inteligente, por exemplo, ao ensiná-la aquela matéria em que ela não tira notas muito boas, mas que você sim. Responda algumas perguntas feitas pelo professor, mas somente as que você tem certeza da resposta. Levante questões e debates que são importantes em sala de aula.

Boa aparência: Procure ter um estilo próprio, pois é sempre importante manter a sua personalidade ao se vestir. Coloque uma roupa bonita, arrume o cabelo e use um bom perfume para chamar a atenção da amiga desejada.

Confiança: Tenha confiança em si, use táticas, como interagir com outras garotas da escola. Demonstre segurança, pois toda garota gosta disso em um homem e passa a enxergar de forma diferente alguém que tem confiança em si.

Grupos de estudos: Crie grupos de estudos, pois é uma ótima tática para se aproximar da garota desejada. Veja a matéria que ela tem mais dúvida e a convide para um grupo de estudos.

Utilize o intervalo: O intervalo é um ótimo momento para colocar todos os seus planos em ação, busque assuntos que vocês tem em comum, interaja com ela e os amigos que estiverem presente.

Atencioso: Muitas garotas gostam de falar sem parar sobre a sua vida, sendo assim, aproveite esses momentos para demonstrar a sua atenção e carinho por ela. Garotas não gostam de conversar com pessoas que não prestam atenção no que elas dizem. Por isso dê sempre a oportunidade para que ela fale sobre si, porém fale sobre você também, mas não esqueça as suas prioridades, sendo que a principal é conquistar a garota.

Quem pode participar do Sisu e do Prouni

O Governo Federal, tem realizado programas que ajudam os alunos das escolas públicas a ingressarem no ensino superior, sendo que dois desses programas são o Prouni e o Sisu.

Quem um dia foi aluno ou é um aluno, sabe a dificuldade que muitos possuem em escolher a carreira que seguirá após o término do ensino médio. Pois essa escolha dependerá do curso escolhido, incluindo a faculdade.

Porém, nem todo mundo tem a facilidade de ingressar na faculdade desejada por vários motivos, principalmente alunos da rede pública. Sabendo-se disso, os programas Prouni e Sisu dão luz a vida desses alunos.

Para participar desses programas é necessário que o aluno tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Tanto o Prouni, quanto o Sisu, possuem suas próprias regras, veja a seguir.

Sisu

O sistema de Educação Unificada, ou seja, o SISU, foi originado pelo Ministério da Educação no intuito de escolher alunos a partir da sua nota do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, para integrar nas instituições públicas de ensino superior.

Todo aluno que concluiu o ensino médio, poderá executar o exame para concorrer a uma vaga pelo SISU. Sendo assim, basta fazer a inscrição pelo site oficial do SISU, utilizando o mesmo número e senha do ENEM, porém é necessário ter feito o último exame realizado pelo ENEM.

É possível escolher dois cursos disponíveis nas instituições públicas para concorrer a uma dessas vagas. Lembre-se que o SISU ocorre duas vezes no ano, sendo um no primeiro semestre e o outro no segundo semestre.
Prouni

O Programa Universidade para Todos, ou seja, o Prouni, tem o propósito de propiciar bolsas de estudo para alunos da escola pública. São cursos de formação superior em faculdades ou em Universidades particulares.

Para ganhar essa bolsa o aluno precisará ter tirado mais de 450 pontos na prova e não ter zerado a redação, sendo que essa prova também é do ENEM. A bolsa de estudo poderá ser integral ou parcial, arcando com 50% da mensalidade do curso. O Prouni é especificamente para os alunos de renda baixa.

Entenda a seguir, a diferença do Sisu para o Prouni:

Sisu
• Programa voltado para os alunos estudarem nas Universidades Públicas do país
• Os alunos escolhidos para estudarem nessas Universidades precisarão tirar as melhores notas do Enem
• Para ser selecionado é necessário fazer a inscrição no site do Sisu
• O Sisu dispõe duas chamadas, possuindo também uma lista de espera

Prouni

• Programa voltado para os alunos estudarem nas Universidades Públicas do país
• O aluno precisa ter nota mínima de 450 pontos do Enem e não pode zerar na redação
• A renda familiar para bolsa integral, não pode ultrapassar um salário mínimo por pessoa. Sendo que para as bolsas parciais, a renda familiar não poderá ultrapassar três salários mínimos

Qual programa é melhor Sisu ou Prouni?

Os dois programas são ótimos para os alunos que almejam possuir um diploma do ensino superior, porém deve-se levar em conta a renda, pois o candidato que possui um nível de renda familiar alto, mesmo tendo estudado em escolas públicas, dificilmente conseguirá ingressar numa faculdade ou Universidade particular através do Prouni.

No entanto, os candidatos que escolhem o programa Sisu para ingressar numa Universidade pública, concorrerá de forma igual aos outros candidatos, independente da sua renda familiar. Diante isso, o Prouni, torna-se a melhor opção aos alunos de renda baixa.

Erros de português mais cometidos por crianças, dicas para evitar

É comum vermos crianças cometendo diversos erros de português, principalmente as que estão em fase de alfabetização. O problema é que infelizmente esse distúrbio de aprendizado é muito confundido com a falta de atenção, o que acaba passando despercebido e se estende à vida adulta.

O seu filho que entrou recentemente na escola justamente para socializar, está propensos a diversos obstáculos e nesse período a ajuda de pais e educadores é determinante no vencer desses pequenos desafios. Um deles, tanto na família quanto na instituição educacional, é evitar os erros de português.

Uma criança de cinco anos de idade já faz uso de sua língua (no nosso caso, o português) sem que seja necessário o ensino. Até porque, nós seres humanos, somos capazes de fazer uso de um conhecimento inconsciente, o qual incorporamos à medida que aprendemos a falar. Neste sentido há uma certa coerência ao pensarem que chegando em sala de aula, já possuem domínio da própria língua.

Cabe ao educador não ensinar somente a língua falada, mas também representa-la de modo escrito. Cabe também aos pais policiarem os filhos para que eles não cometam erros. Os erros são comuns e todos estão propensos a eles, é preciso adotar uma política para que não se transformem em algo corriqueiro e repetitivo.

A leitura constante evita erros de português  (Foto:Reprodução)

 Quais são e como evitar?

É preciso ter paciência com os erros, lembrando sempre que os pequenos estão iniciando a vida escolar. É verdade que costumam ser bastante curiosos, mas seu conhecimento ainda é limitado.

Os erros mais frequentes estão na troca de palavras e na maneira errada da pronúncia, esses acabam indo pra escrita consequentemente.

É bom que algumas medidas sejam tomadas, como aulas particulares, tempo extra para as atividades escolares em casa e também muito empenho por parte dos educadores.

Nesta fase, a criança pode também apresentar dislexia e transtorno genético hereditário de origem neurobiológica, em miúdos, é a dificuldade de ler, escrever e também de se expressar.

O transtorno que ainda não possui cura deve ser acompanhado por um fonoaudiólogo, um psicólogo e um neurologista. Lembrando que o tratamento é a longo prazo e se não for assistido por especialistas, futuramente a criança pode se tornar um adulto com inúmeros problemas.

Aos pais e pedagogos, o alerta é corrigir erros frequentes quanto a fala e a escrita. É interessante pedir aos filhos para repetirem a palavra correta que acabou de ser proferida, desta maneira ele irá memorizando o erro e diminuindo-o. Outra forma eficaz de prevenção é a leitura, além de ser uma fonte inesgotável de conhecimento, também auxilia no desenvolvimento cognitivo e melhora a dicção ao longo do tempo.

Normas da ABNT para trabalhos escolares

Cada vez mais, as escolas estão preparando os alunos para o ingresso na faculdade, seja em questão de vestibular, seja ensinando conteúdos que ajudarão nos anos acadêmicos. Existem muitos teóricos que não concordam com esse posicionamento pedagógico, tendo em vista que a própria LDB vai contra esse tipo de abordagem de ensino.

Mesmo assim, a realidade do aluno é passar por isso na sala de aula. De um forma ou de outra, os alunos terão de se adequar ao que está sendo transmitido e conseguir suas aprovações. Algo que está sendo muito comum é a cobrança das normas da ABNT para a confecção de trabalhos escolares. Mesmo que de uma forma menos rigorosa, essa exigência acaba acostumando os alunos ao formato que utilizarão posteriormente na faculdade, além de ambienta-los na formalidade que o mundo exige. Confira.

(foto: reprodução)

Trabalhos dentro na norma

De início, é necessário saber que o trabalho se dividirá em tópicos e que cada tópico terá um expectativa em seu desenvolvimento. Além disso, existem algumas regras básicas de formatação que devem compor todo o trabalho. Vejamos:

Fonte – poderá ser Times New Roman ou Arial no tamanho 12. Em citações, o tamanho é 11 e em notas de rodapé, o tamanho é 10.

Parágrafo – recuo de 1,25 cm obviamente da margem esquerda.

Papel – Folha de sulfite A4 ou se manuscrito, folha de almaço.

Espaçamento entrelinhas – 1,5.

Capa – o que deve conter

No cabeçalho, o nome da instituição de ensino, da disciplina e do professor responsável. Seguindo o padrão de alinhamento centralizado, um embaixo do outro e em caixa alta. Com um recuo pra baixo maior, se distanciando dessas informações, o nome do aluno e a série.

No centro da folha, o nome do trabalho e no pé da folha, a cidade e a data do trabalho. É importante saber que tudo deverá estar na mesma fonte do restante do trabalho, em caixa alta e centralizado. A capa não deverá conter figuras nem qualquer outra espécie de enfeite.

Folha de rosto – quase a mesma coisa

A Folha de rosto deverá conter as mesmas especificações e conteúdo que a capa, porém com informações sobre o trabalho, uma espécie de justificativa 3 cm abaixo do título e alinhada a direita. Essas informações você pode pegar com seu professor ou instituição de ensino.

Introdução

Nesse tópico do trabalho, o aluno deverá expor uma breve introdução sobre o que será abordado no decorrer do trabalho. Para isso, é importante criar um questionamento que tenha a ver com sua tese ou proposta do trabalho, a fim de deixar uma inquietação no leitor e fazer com que o mesmo tenha interesse em ler o restante do trabalho para suprir a dúvida.

Desenvolvimento

É nesse tópico que o trabalho se desenrolará. Você não colocará “desenvolvimento”. Invés disso, você poderá criar vários capítulos de acordo com a relevância de cada tema abordado. A pessoa que avaliará o trabalho certamente entenderá de que se trata do desenvolvimento. A divisão dos capítulos e os nomes dos mesmo fica a encargo do aluno.

Considerações Finais

Aqui, o aluno expressará uma espécie de conclusão, que levará em conta as principais informações desenvolvidas no trabalho para um arremate final de ideias que façam sentido e situem o leitor perfeitamente. É importante criar um atmosfera de “resolução dos conflitos criados na introdução” para que todo o conjunto faça sentido.

Referências

A parte das referências é destinada a apresentação das obras utilizadas durante o trabalho nas citações e notas de rodapé. Em cada livro que o aluno utilizar em uma citação, haverá um espaço nas primeiras páginas com a referência pronta para ser utilizada. Basta olhar e copiar, apenas colocando o número da página citada no final.

Contra capa

A contra capa nesse sentido seria uma folha em branco após as referências.

Tudo sobre o Parnasianismo obras caracteristicas e resumo

A grande força do Romantismo tanto no Brasil como na Europa era evidente, mas a cada vez mais, autores se debruçavam sobre outras formas de escrever e transmitir suas histórias e romances. As tendências científicas, as descobertas da época e os demais contextos históricos refletiram na literatura francesa em meados do século XIX.

Surge como tendência uma nova escola literária, a qual ficou chamada de Parnasianismo. Em oposição as elucubrações romantistas, o parnasianismo busca a valorização dos saberes e procedimentos científicos, além de inserir as tendências positivistas em seus discursos escritos.

Características do Parnasianismo

O Parnasianismo tem como características a objetividade do escritor, que a todo o custo evita que sentimentalismos e subjetividades se transfigurem na obra, desse modo, dando a característica de impessoalidade aos que lhe é narrado.

Olavo Bilac

Não só o discurso preza pela perfeição, mas a própria estética textual é levada mais a sério pelo escritor. Ao olhar para um texto do parnasianismo, vê-se a busca as vezes milimétrica da preservação da estética, a ausência de palavras da mesma classe gramatical na mesma frase, a utilização de vocabulário sempre culto e rico em palavras diferenciadas e ritmadas, dentre outros detalhes.

As descrições ricas de cenas e acontecimentos são narradas com a maior quantidade de detalhes possíveis pelos autores. Além disso, é comum que temas que evocam aos gregos sejam elucidados por esse movimento.

Obras do Parnasianismo

Ao final do século XIX, o Parnasianismo chega ao Brasil e autores como Olavo Bilac produzem obras que ficaram marcadas em nossa literatura. Crônicas e Novelas, Crítica e Fantasia, Poesias e Dicionário de Rimas são exemplos das contribuições de Bilac.

Raimundo Correa também merece ser citado como um dos grandes autores. A ele são creditadas as obras: Versos e Versões, Sinfonias e Primeiros Socorros.

Para completar o que era conhecido na época como Tríade Parnasiana, Alberto de Oliveira se destacou publicando Meridionais, também a Céu, Terra e Mar e O Culto da Forma na Poesia Brasileira.