DicasFree.com » Arte » Qual foi a principal obra de Schopenhauer?

Qual foi a principal obra de Schopenhauer?

Arhtur Schopenhauer foi um dos grandes filósofos alemães do século XIX. Suas diferentes características o consagrou na história. Confira mais sobre a história e as obras deste ilustre filosofo.

     

Arthur Schopenhauer

Arthur Schopenhauer foi um filósofo de origem alemã do século XIX. O que realmente deixou o artista historicamente conhecido, foi a forma como avistava o amor e a vida, que não se encaixavam nos padrões estabelecidos pelo século. O filósofo foi o primeiro a introduzir a cultura budista em obras alemãs.

Também foi incluso, através dele, a metafísica alemã. Um pouco mais á frente, sua filosofia teve influência oriental, até que aceitou o ateísmo em sua vida. Durante muito tempo foi conhecido por seu grande pessimismo e maneira “errônea” de enxergar a vida. A cultura religiosa foi se perdendo em suas obras, com o passar dos anos.

Com uma visão extremamente realista, essa imagem ficou impressa em suas obras com o decorrer do tempo. Basicamente, Schopenhauer acreditava na veracidade do amor e nos momentos ilusórios (segundo ele) que ele trazia, contudo não via relação com a felicidade, para ele não estava diretamente ligado a ser ou estar feliz, o ato de amar.

Principal obra

Schopenhauer foi um grande filósofo que teve suas obras reconhecidas mundialmente

Arthur Schopenhauer (Foto: Reprodução)

Sua principal obra, hoje conhecida mundialmente é “O mundo como vontade e representação”, lançado no ano de 1819, contudo o livro mais famoso entre adolescentes e a geração atual é o “Parerga e Paralipomena” divulgado no ano de 1851. Ambos tem acentuações sobre pontos de crença do autor.

Há trabalhos inteiros universitários, que se espelham principalmente em obras de Arthur Schopenhauer. Para o autor, a representação funcionava como uma atividade fisiológica, forçando o pensamento com relação a vida e a representação da mesma aos seres.

A representação para ele, tem como finalidade formular algo no cérebro humano (ou de qualquer outro animal) uma imagem diferente, que se organiza de acordo com o poder de raciocínio e capacidade de cada um. A representação é uma espécie de tradução feita pelos nossos sentidos, essas são formadas pelas informações que obtemos do mundo exterior. Isso influenciou a maioria de seus trabalhos.

Obras

» As Dores do Mundo

» Sobre a Raiz Quádrupla do Princípio da Razão Suficiente

» Sobre a Visão e as Cores

» O Mundo como Vontade e Representação 

» Sobre a Vontade da Natureza 

» Os Dois Problemas Fundamentais da Ética

» Parerga e Paralipomena 

» Metafísica do Amor/Metafísica da Morte

» A Arte de se Fazer Respeitar

» A Arte de Insultar

» Sobre o Ofício do Escritor

» A Arte de Ter Razão ou Como Vencer um Debate sem Precisar ter Razão

» A Arte de Ser Feliz

» A Arte de Lidar com as Mulheres

» Aforismos para a Sabedoria de Vida

» Sobre a Vida Universitária

» Sobre o Fundamento da Moral

» O Livre Arbítrio

Outra posição sobre o mundo que categoriza a personalidade de Schopenhauer, era sua visão sobre as mulheres. Ele não concordava com o progresso das mulheres, e acreditava que era um dever da mesma “obedecer” tanto a sociedade que a envolvia como a seu marido.

Declarava ainda mais, segundo ele, estava em sua natureza (da mulher) a obediência. Contudo, dizia que elas tinham uma percepção melhor sobre a vida e também eram mais sensatas em seus julgamentos. Além de declarar sua eterna admiração pela forma como eram cheias de compaixão.

Texto do mesmo assunto:


Quer comentar ?